Pivot Point: O indicador que potencializa o trade

Você conhece o indicador Pivot Point? Caso não tenha ouvido falar dele, entenda o que é, como ele é calculado e qual a sua utilidade neste texto. Confira.

Por
Luiza Brito
28/5/2021
Pivot Point: O indicador que potencializa o trade

São inúmeras as técnicas que podem ser utilizadas quando vamos fazer uma análise técnica em algum ativo de investimento. Algumas são mais voltadas para traders experientes e avançados, mas todos já fomos iniciantes algum dia, não é mesmo? O importante é começar, aprender bem na teoria e se esforçar para colocar em prática. 

Hoje vamos falar a estratégia do Pivot Point, um indicador que pode ser extremamente útil na hora de tentar prever a região de preços em que o ativo pode flutuar no dia seguinte.

Abaixo seguem os tópicos que vamos discutir:

  • Indicador Pivot Point: O que são Pivot Points?
  • Como calcular o Pivot Point?
  • Quando utilizar o Pivot Point?
  • Pivot de alta
  • Pivot de baixa

Indicador Pivot Point: O que são Pivot Points?

Como o próprio nome já diz, é um indicador que faz parte da análise técnica. Ou seja, ele é utilizado para indicar alguma coisa a respeito dos movimentos do ativo no dia seguinte, e claro, se aplica às criptomoedas. No caso do Pivot Point ele é usado especificamente para prever uma margem de preços que o ativo pode atingir, para auxiliar o trader a saber os melhores momentos para entrar e sair do mercado.

 É um indicador mais imediatista, portanto é mais apropriado para quem pratica o Day Trade ou Scalping Trade, que são estratégias para o curto prazo. Mas também é possível de ser aplicado em análises mensais e semanais. Tudo vai depender de qual é a sua estratégia de investimentos alinhada ao seu perfil de investidor.

A estratégia foi criada em 1960, por um grupo de investidores que residiam na cidade de Chicago, em Illinóis, nos Estados Unidos. Esses investidores notaram um certo padrão e perceberam que é possível prever uma média dos preços do ativo para o dia seguinte a partir dos preços registrados no dia anterior. A partir de uma fórmula matemática eles conseguiram identificar a zona de preços na qual o ativo flutuaria no período em que se vai operar.

O Pivot Point também pode ser utilizado para calcular as possíveis zonas de suporte e resistência do ativo para o período desejado, o que ajuda a entender a pressão compradora (suporte) e a pressão vendedora (resistência).

Porém é importante falar sobre algumas ressalvas em relação à técnica. O Pivot Point não leva em consideração a influência de fatores externos, que podem mudar bruscamente o curso do ativo naquele momento, como o nosso CEO José Artur pontuou. Além de sempre termos em mente que as criptomoedas são uma classe de ativos que contam com alta volatilidade, ou seja, têm capacidade para variar suas cotações em curtos intervalos de tempo.

Como calcular o Pivot Point?

A fórmula para calcular o preço base do Pivot Point do ativo em questão é bem simples. Basta somar os valores que marcaram o preço máximo, o preço mínimo e o preço de fechamento que o ativo teve no período em que você deseja analisar e dividir o resultado por três.

Logo, temos:

Pivot Point: =  (Max. +  Min. + Fechamento)/3

O resultado é o preço que o mercado toma como base e região na qual os valores do ativo ficarão flutuando. Para calcular os pontos de resistência e suporte do ativo, temos as fórmulas seguintes:

Resistência = (2 x Pivot Point) – Mínima do ativo no período

E o ponto de suporte é calculado da mesma forma, porém subtraindo a Máxima  do ativo no período.

Logo, temos as fórmulas:

Resistência (R1) = (2 x PP) - Min
Suporte (S1) = (2 x PP) – Máxima

E há ainda como calcular os seguintes pontos de resistência e suporte, as fórmulas são:

R2 = PP + máxima – mínima 
S2 = PP – máxima + mínima
R3 = máxima + 2 x (PP – mínima)
S3 = mínima – 2 x (máxima – PP)

Felizmente não precisamos mais fazer os cálculos à mão, já existem calculadoras automáticas na internet de Pivot Point.  Você simplesmente preenche os valores das máximas, mínimas, fechamento e, no caso desta calculadora, leva-se em conta o preço de abertura também. 

Segue abaixo um modelo para você calcular o Pivot Point do seu ativo.


Calculadora de Pontos de Pivô fornecida por Investing.com Brasil.

Quando utilizar o Pivot Point?

Calculado os pontos de Pivot Point e os pontos de suporte e resistência, o próximo passo é fazer uma análise e identificar se o indicador está te mostrando que o ativo está em tendência de alta ou de baixa para então programar suas ordens do período. Algumas vezes é possível perceber também pontos de reversão de tendência.

Alguns especialistas também afirmam que esse indicador é mais uma maneira de identificar em qual onda se encontra o ativo, pela técnica das Ondas de Elliot, que sugere que o preço do ativo no gráfico se move em ciclos padrões e que é possível prever seus próximos movimentos a partir desta análise.

As ordens de Stop Loss e Stop Gain são muito úteis nestes momentos, uma vez que você terá identificado possíveis ponto de suporte e resistência, que são os indicadores mais sólidos para programar uma ordem de stop.

Pivot de Alta

O Pivot de Alta, como o próprio nome já entrega, é quando o indicador demonstra que o ativo está em tendência de alta. Como podemos perceber isso? Fácil, se o Pivot Point é superado, ou seja, o ativo rompe aquele ponto de preço que foi indicado pela fórmula, dizemos que há um Pivot de Alta.

Observe na imagem abaixo como fica a representação gráfica deste momento.

Pivot de Alta
(Imagem adaptada: Opere Futuros)

Tome como legenda:

  • Ponto 1 -  O primeiro fundo 
  • Ponto 2 -  O primeiro topo - Onda 1 de Elliot
  • Ponto 3 - Fundo mais alto que o anterior - Onda 2 de Elliot 
  • Ponto 4 - Confirmação do Pivot - o ativo segue para a Onda 3 de Elliot

Na prática, isso sugere que você pode abrir posições de entrada no mercado, já que o ativo poderá se valorizar. E assim que ele atingir o ponto de resistência, poderá fechar as posições de compra e iniciar as posições de venda.

Se você preferir, também pode se apoiar na teoria das Ondas de Elliot para identificar se o Pivot é de alta, a partir da interpretação do gráfico. 

De acordo com está prática, o Pivot de alta vem logo após uma tendência de baixa, no qual o ativo vem de um Fundo, em seguida passa por um Topo, que nas Ondas de Elliot seria a Onda 1 e recua novamente para um Fundo porém mais alto que o anterior, correspondente à Onda 2 de Elliot. 

Neste momento, dizemos que o Pivot está “armado”, ou seja, tem grandes chances de acontecer. A partir do momento em que o ativo romper o Topo formado na Onda 1, e sua cotação superar este ponto, dizemos que o Pivot é confirmado, e então ele dá sequência à tendência de alta.

Pivot de Baixa 

O Pivot de Baixa vai seguir a mesma lógica do de alta, porém com os indicativos reversos e as ondas de Elliot que indicam tendência de baixa. Também pode ser identificado caso o preço do ativo fique abaixo do Pivot Point que foi calculado, assim tem-se o indício de que ele está em uma tendência de baixa.

Pivot-de-baixa
(Imagem adaptada: Opere Futuros)

Interpretando a figura acima, temos então:

  • Ponto 1 - O Primeiro Topo
  • Ponto 2 - O primeiro Fundo - Onda de Elliot A
  • Ponto 3 -  O segundo Topo, mais baixo que o primeiro (Ponto 1) - Onda de Elliot B
  • Ponto 4 - Quando o Pivot de baixa é confirmado - Onda de Elliot C

Pelas Ondas de Elliot, então, a técnica ensina que as ondas que contrapõe os movimentos de alta são denominadas por ABC, em contraste com as de alta que são numéricas. Logo, primeiramente o Pivot de Baixa vai se iniciar quando o ativo vem de uma tendência de alta, em Elliot é chamada de Onda 5, a onda da reversão de tendência, entrando em seguida nas ondas ABC. 

O Ponto 2 corresponde à onda A, a primeira grande queda do ativo. O Ponto 3, seria a onda B, uma pequena recuperação na cotação porém com baixo volume de operações. E por fim, o Ponto 4 seria a onda C, que é a confirmação da tendência de baixa, ou confirmação do Pivot de Baixa.

Portanto, na prática, o momento sugere que você poderia abrir posições de venda para evitar prejuízos maiores. Porém quando o ativo chegar aos níveis de suporte, as vendas se tornam insustentáveis já que ele está no ponto máximo de desvalorização, sendo lógico investir em posições de compra, para aproveitar a desvalorização e acumular

Viu só como o Pivot Point, que é uma técnica de análise tomada para traders avançados, pode ser simplificada se explicada passo a passo? A teoria você já está dominando, falta então colocar em prática nos seus investimentos.  

Mais nesta categoria
CONTEÚDO PRODUZIDO POR
Essas análises são de responsabilidade da Mercurius e não são uma recomendação de investimento.
Assine nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo
Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Coinext.
Obrigado! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Oops! Revise seu email e insira um válido.
Concorra a Bitcoins e R$10.000 em prêmios!
Participe da Promoção Indique e Ganhe. Compartilhe seu link de afiliados com amigos e concorra automaticamente.
SAIBA MAIS
Feedback