Super Semana Cripto | 16 a 20 de abril | Inscreva-se

Stablecoins: o que são e quais as melhores para 2023?

Stablecoins são criptomoedas com lastro em outros ativos cujo preço varia menos. Mas quais as vantagens de investir em uma criptomoeda estável? Entenda!

Equipe Coinext
Última atualização:
12/4/2024

O mercado de criptomoedas cresceu exponencialmente nos últimos anos, e um setor que vem se destacando é certamente o de stablecoins, que já alcançou uma capitalização que ultrapassa os US$100 bilhões de dólares. Mas afinal, o que são stablecoins e qual sua importância para o mundo atual?

Pareadas com o valor de ativos estáveis, as stablecoins servem como uma ponte para o mercado das criptomoedas. Elas também contribuem para a estratégia de proteção de patrimônio e dolarização digital de muitos investidores.

Isso porque uma característica muito marcante sobre as criptomoedas é que eles são instáveis. Mas isso não é válido para as stablecoins, que têm como principal foco a estabilidade de preço.

Continue lendo para entender tudo sobre o que são as stablecoins e quais as melhores para investir em 2023:

O que são stablecoins?

Stablecoins são criptoativos registrados em redes blockchain que rastreiam o preço de ativos estáveis. As principais stablecoins do mercado são atreladas ao preço do dólar americano, que é de longe a principal moeda do mundo atualmente.

No entanto, existem stablecoins que rastreiam o preço de outras moedas e ativos, como o euro, real brasileiro, e até mesmo commodities, como o ouro ou a prata.

Moedas fiduciárias e commodities também possuem volatilidade, porém muito menor do que a de criptoativos, como Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH).

Por que as stablecoins se tornaram tão importantes?

  • Acesso de investidores tradicionais: Um dos principais casos de uso das stablecoins é criar uma ponte entre o mundo financeiro tradicional e o mercado de criptomoedas. Na maioria das bolsas, o Bitcoin e demais criptoativos são cotados em pares com as stablecoins.
  • Veículos de investimento em locais com moedas fracas: Apesar de moedas como o dólar também possuírem inflação, a moeda do governo americano é certamente uma melhor opção para pessoas e empresas que vivem em locais com hiperinflação.
  • Transações internacionais: As stablecoins também podem ser uma ótima alternativa para transação de valores internacionais, visto que redes blockchain podem ser uma forma muito mais barata para se enviar grandes valores ao redor do globo.

Além disso, diferente de transações realizadas com BTC ou ETH, as stables não estão sujeitas a volatilidade repentina, visto que elas próprias já são utilizadas como unidade de conta em acordos e contratos.

O icônico investidor Roberto Justus contou em entrevista como ele utilizou stablecoin para vender um imóvel:

“Eu tinha um imóvel em Miami. O cara ofereceu o valor que eu queria, sem negociação, só que ele queria pegar em Ethereum, que é a segunda maior moeda. Eu falei: 'cara, eu não vou aceitar isso'. [...] Aí eu descobri uma coisa chamada USDC, que é stablecoin. [...] A operação blockchain... o comprador sentou, apertou um botão, entrou na minha conta”.

Em resumo, as stablecoins são ativos que estão ganhando cada vez mais espaço no mercado de criptomeodas e no setor tradicional. Estes tokens unem a revolucionária tecnologia blockchain com as já estabelecidas moedas fiduciárias.

A união entre esses dois mercados cria um produto que atende a muitas necessidades e casos de uso. As stables permitem uma maior privacidade em comparação com o setor bancário tradicional, bem como uma maior liberdade, visto que permite a transação de valores de pessoa para pessoa.

Como funciona uma stablecoin?

As stablecoins são projetadas para que seu preço permaneça indexado ao valor de um determinado ativo, como o dólar americano. As maiores stablecoins do mercado são mantidas por empresas centralizadas, que atuam como instituições financeiras regulamentadas.

Essas empresas, como a Tether Limited, emissora da stablecoin Dólar Tether (USDT), são encarregadas de três funções básicas: 

  1. Manter ativos equivalentes sob reserva: para que o preço de uma stablecoin permaneça pareado com um determinado ativo estabelecido, é necessário que a emissora mantenha ativos na mesma proporção em suas reservas. Caso contrário, o valor da stable estará comprometido.
  2. Emitir tokens em redes blockchain: as redes blockchain permitem que qualquer indivíduo ou instituição possam facilmente emitir tokens que podem assumir diferentes funcionalidades ou casos de uso. Em específico, as emissoras de stablecoins utilizam as redes blockchain para emitir seus tokens, que podem então ser negociados de pessoa para pessoa de maneira descentralizada.
  3. Manter transparência e confiança: Para que as stables permaneçam estáveis, é importante que o mercado as precifiquem dessa forma. Para isso, as emissoras precisam ser transparentes e confiáveis, mantendo constantes auditorias que comprovem suas reservas.

É importante destacar que nem todas as stablecoins são lastreadas no ativo que rastreiam o preço. A próprio USDT, maior stable do mercado, é lastreada em uma cesta de ativos diversificada. Desde que o valor desta cesta de ativos se iguale ou supere o valor total de tokens emitidos, o preço do USDT estará assegurado.

Também é preciso ressaltar que esse modelo de negócios não está isento de riscos, visto que o valor dos ativos em balanço das emissoras de stables podem sofrer com as movimentações do mercado. A própria Tether já foi multada no passado por não assegurar em 100% do tempo os ativos do USDT.

Quais são os tipos de stablecoins?

Existem 2 principais tipos de moedas stablecoins, sendo que diferem entre si quanto ao lastro. E também existem as stablecoins que não são colateralizadas a nada. Vamos entender abaixo como funcionam essas stablecoins:

Stablecoins colateralizadas em FIAT

O primeiro tipo de stablecoin é mais comum, o que você provavelmente já conhece muito bem. São as stables que possuem lastro em moedas fiduciárias. A colateralização de stables em moeda fiat mais comum é em dólar, mas teoricamente podem existir em qualquer moeda fiat.

As stablecoins com lastro em moedas fiduciárias são aquelas que, para existirem, é preciso que haja também uma reserva da moeda fiduciária correspondente, na mesma proporção da stablecoin, de 1:1.

Essas reservas de moedas fiat são guardadas por custodiantes independentes e são auditadas com frequência, para garantir que há integridade e que para cada stable, realmente existe uma outra moeda fiat.

Ou seja, a cada Tether USDT emitido, a IFinex, empresa responsável pelo gerenciamento da stable, precisa garantir que em suas reservas, existe também um dólar correspondente. Neste caso, um Tether USDT sempre será equivalente a um dólar, à cotação atual do dólar.

Stablecoins colateralizadas em Commodities

Existem também as stables colateralizadas em commodities, ou seja, elas possuem sua garantia em outros tipos de ativos intercambiáveis, como metais preciosos, por exemplo.

Ou seja, essas moedas são lastradas ao ouro, o metal precioso mais comum de se utilizar nestas moedas, ou podem ser lastreadas em imóveis, petróleo, ou até mesmo à um conjunto de vários metais preciosos

Neste caso, aqueles que possuem este tipo de stablecoin também precisam ter um ativo tangível de mesmo valor real. Existe também o potencial de valorização do colateralizado, o que acaba sendo uma garantia a mais para quem investe nessas criptos, aumentando o incentivo para as pessoas segurarem as stablecoins.

A PAX GOLD é um exemplo de stablecoin que lastreada ao ouro.

Stablecoins não colateralizadas

O último tipo de stablecoins são as não colateralizadas, ou seja, não são apoiadas em nada. Elas são controladas por um algoritmo capaz de manter o preço estável. 

Algumas pessoas acreditam que essas criptomoedas acabam caindo em um conceito contraditório, pois não utilizam os conceitos de apoio e garantia, que são praticamente partes da definição de stablecoins.

Na prática, essas moedas funcionam como bancos de reserva e precisam ser monitoradas em questões como oferta e demanda, e se for necessário, para manter as forças equilibradas, podem ser feitas grandes compras das moedas em circulação, especialmente quando os preços estão baixos.

Caso o preço esteja inflacionado, eles emitem novas unidades da moeda, bem semelhante ao que acontece com moedas fiat, controladas por bancos centrais, porém acontece de forma autônoma e mais descentralizada. O principal objetivo dessas moedas é manter seus preços em conjunto do ativo em que foram indexados. Um exemplo de stablecoin deste estilo é a DAI da MakerDAO.

Quais as principais Stablecoins?

Agora que você compreende o que são stablecoins, confira quais são as principais opções do mercado.

Tether (USDT) 

A Tether (USDT) é de longe a stablecoin mais popular do mercado. Devido ao seu pioneirismo, ela é também um token altamente líquido, visto que pode ser negociada facilmente em todo o mundo e em milhares de instituições financeiras.

A Tether passou pelo teste do tempo e está se tornando um ativo cada vez mais importante não somente para o mercado de criptomoedas, mas para a economia tradicional.

USD Coin (USDC)

A USD Coin é atualmente a segunda maior stablecoin do mundo. O criptoativo é emitido pela Circle, empresa que possui fontes conexões dentro do mercado financeiro dos Estados Unidos.

Anteriormente, a USD Coin era "apoiada em dólares americanos" de 1 para 1. No entanto, a stable passou a ser garantida por "ativos totalmente reservados", seguindo o mesmo caminho da Tether.

Dai (DAI)

A Dai é provavelmente o ativo mais diferente desta lista. O Dai é uma stablecoin algorítmica, emitido pelo projeto DeFi Maker DAO.

O DAI pode ser emitido por qualquer pessoa através do algoritmo, colocando criptoativos da rede Ethereum para garantir o valor token. Diferente da stable UST do projeto Terra (LUNA), que quebrou em 2022, o DAI vem resistindo ao teste do tempo e é atualmente uma das maiores stablecoins do mercado.

Pax Gold (PAXG)

Diferente das demais stables desta lista, o Pax Gold (PAXG) não rastreia o preço do dólar americano, mas do ouro, uma reserva de valor milenar.

O PAXG é um token emitido pela Paxos, empresa com sede nos Estados Unidos. O valor do token é garantido por reservas de ouro custodiadas pelo emissor.

USDT, USDC, DAI e PAXG estão disponíveis na Coinext. Abra sua conta e comece agora mesmo!

Vale a pena investir em stablecoins?

São quatro os principais casos de uso para comprar stablecoins. Lembrando que existem stablecoins reguladas, portanto, passíveis de confisco por autoridades reguladoras, e as não-reguladas, ou sediadas em paraísos fiscais, que dificultam tais sanções.

As principais vantagens são as seguintes:

Envio entre diferentes exchanges

Enviar valores fiduciários entre diferentes exchanges é caro e demorado. É necessário realizar um saque, aguardar a compensação, para em seguida depositar na nova conta. Lembrando isso só é possível em horário comercial.

É possível realizar este envio com flexibilidade utilizando Bitcoin e demais criptomoedas, porém correndo o risco da variação da cotação, que inviabiliza operações de trade, ou remessa de saldos parados em conta.

Proteção contra inflação

Pessoas que vivem em países com moedas inflacionárias precisam comprar ouro, dólares, euros, ou outras moedas fortes para se proteger. Para isso enfrentam burocracia, limites, restrição de horário, e altas taxas.

Ao comprar stablecoins, é possível realizar pagamentos e envios de valores sem necessidade de intermediários. De maneira similar, a custódia (guarda) pode ser realizada pela própria pessoa, de forma segura e transparente devido ao uso do blockchain.

Pagamento internacional

Realizar um pagamento de produtos e serviços utilizando Bitcoin e demais criptomoedas é possível, porém a cotação varia rapidamente. Mesmo que o envio seja instantâneo, a maioria dos vendedores precisa trocar novamente a criptomoeda por valores fiduciários.

O envio por meio de bancos e casas de câmbio exige que o destinatário tenha uma conta corrente, e pode levar até três dias úteis.

Diversificação de investimento

Por meio das stablecoins, é possível investir indiretamente nas mais variadas classes de ativos, desde metais preciosos a uma cesta de ativos, com mais praticidade e a um custo de entrada mais acessível, aumentando as opções para diversificação de investimento.

Vantagens de investir em stablecoins

Existem diferentes vantagens em utilizar uma stablecoin. A principal é a facilidade em investir em moedas estrangeiras sem precisar envolver casas de câmbio, o que costuma ser bem mais caro do que operar em exchanges ou no mercado P2P.

Outra importante vantagem fica justamente pela possibilidade de guardar valores de forma muito mais simples. É muito mais fácil (e seguro) guardar US$ 10 mil em uma carteira digital do que em um cofre na sua casa.

No entanto, a principal vantagem fica para as grandes companhias, principalmente os bancos. Com o uso de stablecoins é mais fácil realizar grandes liquidações, transferências e pagamentos pagando menos taxas e com mais velocidade.

Desvantagens de investir em stablecoins

A principal desvantagem para o investidor varejista é justamente o lastro dessas moedas. Por exemplo, a USDT é lastreada no Dólar, ou seja, é diretamente afetada pela inflação da moeda fiduciária.

Para aqueles que querem investir nas criptomoedas como uma forma de fuga da inflação e dos problemas ligados ao mercado fiat, uma stablecoin pode não ser a melhor escolha.

Onde guardar stablecoins

As stablecoins são exatamente como as outras criptomoedas, por isso precisam ser guardadas com a mesma segurança. O melhor a se fazer é usar as carteiras físicas offline, que estão mais seguras contra ataques hackers que podem ocasionar na perda de dinheiro.

Confira nosso material sobre as carteiras de criptomoedas e outras opções para guardar seus ativos digitais!

Onde comprar stablecoins com segurança?

A forma mais prática e segura de comprar stablecoins e outras criptomoedas é através de uma corretora de criptomoedas, como a Coinext.

A seguir, apresentamos o passo a passo para começar a comprar na nossa plataforma:

  • Primeiro passo: abra sua conta na Coinext, de forma gratuita, rápida, simples e segura. Preencha e valide seus dados em poucos cliques.
  • Segundo passo: ative sua conta. Para isso, realize um depósito de sua conta em um banco para que você tenha saldo para comprar criptos com a sua conta na Coinext. Esse processo pode ser feito rapidamente e com segurança via PIX ou TED.
  • Terceiro passo: estude para investir. Antes de comprar criptos, é preciso saber bem o que está fazendo. Portanto, busque informações e estude para investir com segurança e consciência. A Coinext disponibiliza conteúdos no Blog, Coinext Educação e Youtube que podem te ajudar a tirar suas dúvidas.
  • Quarto passo: compre e venda suas moedas. Depois de estudar melhor sobre stablecoins, é só buscar pela moeda desejada na nossa plataforma e começar a negociar a compra e venda do ativo.
Sobre o autor
Equipe Coinext
Conteúdos preparados por especialistas em criptomoedas. A equipe da Coinext conta com nomes importantes e com conhecimento para passar as melhores informações sobre Bitcoin e outros principais criptoativos.
Mais nesta categoria
🎁
Ganhe até R$25 em
Bitcoin e mais criptos
Invista a partir de R$10 pelo aplicativo Coinext®.
4,7
Inscreva-se