Inverno cripto: o que é e como impacta os investimentos?

Já ouviu falar sobre inverno cripto? Nesse conteúdo nós te explicamos de onde surgiu esse termo e o seu conceito. Veja também como encontrar oportunidades.

Denio Grossi
Última atualização:
15/3/2024

Inverno cripto são os longos períodos em que os preços dos criptoativos se encontram em tendência de baixa e lateralização, sem perspectiva de crescimento no mercado. Consequentemente, um inverno cripto traz medo e ansiedade entre investidores.

Nesses momentos, pode ser maior o risco de sofrer grandes prejuízos, mas também podemos encontrar maneiras de potencializar oportunidades. Por esse motivo, é tão importante conhecer bem os períodos de inverno para alcançar tomadas de decisão mais assertivas.

Hoje vamos falar justamente sobre o que é inverno cripto, o que causa essas fases de baixa nas criptomoedas e como lidar com o frio no mercado da melhor maneira possível. 

Você vai aprender com este artigo:

  • O que é inverno cripto?
  • O que causa o inverno cripto?
  • Qual foi o último período de inverno cripto?
  • Como lidar com o inverno cripto nos investimentos?

O que é inverno cripto?

Inverno cripto é o nome dado a um longo período de baixa e lateralização nos preços das criptomoedas, em que o sentimento de medo, insegurança e incerteza acabam prevalecendo entre investidores.

Tais períodos também são chamados de “bear market” e esse conceito está bastante relacionado aos ciclos de mercado das criptomoedas. Isso porque a tendência de baixa é dominante durante o inverno cripto e há a predominância dos ursos (bears) do mercado. 

Os ursos são aqueles investidores que atacam de cima para baixo, apostando na queda de preço. Isso significa que, durante o inverno cripto, as pessoas se mostram mais propícias a vender criptoativos do que a comprar. Isso eleva a pressão de venda e diminui a demanda, causando ainda mais quedas.

O termo “inverno” passou a ser usado para se referir a esses períodos de baixa como alusão à estação do ano em que, nos lugares mais frios, há menos fartura e exige um preparo maior para sobreviver ao frio e à escassez de recursos e plantações.

Logo, é feito um contraste com os períodos de alta em que o mercado se encontra aquecido e em euforia.

O que causa o inverno cripto?

O inverno cripto é marcado por grandes baixas nos preços e pelo menor volume de negociação de criptoativos, geralmente causado por consequências de um cenário macroeconômico negativo.

Como as criptomoedas são um investimento de renda variável ainda tido como mais arriscado, é comum que em momentos de incerteza, os investidores optem por produtos considerados mais seguros e estáveis.

Além disso, nos últimos anos, o mercado cripto tem demonstrado grande correlação com o mercado de ações de tecnologia americana. Com isso, as criptomoedas também acabam sentindo os impactos das crises econômicas que afetam também os mercados tradicionais.

Qual foi o último período de inverno cripto?

Em outubro de 2022, enquanto escrevemos este artigo, o mercado cripto está passando por um período de intensas quedas que vêm desde o início do ano. Esse cenário levou analistas a considerar que o último período de inverno cripto, na verdade, está acontecendo agora.

Após o excelente ano de 2021 para as criptomoedas, com o Bitcoin alcançando sua máxima histórica de quase US$70 mil, o ano de 2022 tem sido bastante diferente para o mercado cripto. 

A maior criptomoeda do mercado chegou a registrar seu pior trimestre em 11 anos, com o preço caindo da faixa dos US$45 mil no início de abril para US$19 mil ao final de junho, o que representa uma perda de 56,2%. Mas afinal, por que o Bitcoin está caindo tanto?

Fatores como o contexto econômico decorrente da guerra na Ucrânia, a alta da inflação em vários países, a política de aperto monetária americana e a derrocada de grandes projetos do setor cripto como Terra (LUNA), são exemplos que têm impedido os cripto investidores de testemunharem um ano otimista como o de 2021.

Como lidar com o inverno cripto nos investimentos?

Confira agora algumas práticas que podem te ajudar a gerenciar melhor os investimentos durante o frio do inverno cripto:

Gestão de riscos

A gestão de riscos é usada para identificar a melhor estratégia para evitar prejuízos e maximizar ganhos. Assim, um bom gerenciamento de risco pode te ajudar a se proteger contra eventuais questões que são inerentes aos mercados ou ao criptoativo no qual você investe.

Uma carteira pautada pela diversificação e focada em ativos mais sólidos é uma maneira de mitigar os riscos que o momento de baixa e alta volatilidade podem oferecer.

Acompanhar o cenário macroeconômico

Apesar de possuírem características próprias, o mercado cripto e a bolsa de valores apresentam algumas semelhanças, como o fato de tanto ações quanto criptomoedas serem considerados investimentos mais arriscados do que a renda fixa.

Um exemplo disso é a atual baixa de 2022, durante a qual o aumento da taxa de juros pelo Banco Central dos EUA, como resposta aos altos índices de inflação, acabou afetando também as criptomoedas.

Essa política causa um sentimento de aversão ao risco nos investidores, que acabam migrando dos investimentos de renda variável considerados mais arriscados para a renda fixa, derrubando o preço do BTC e dos demais criptoativos.

Portanto, acompanhar o cenário macro é uma forma de obter mais insumos para analisar o momento das criptomoedas durante o inverno cripto, entendendo melhor os riscos e oportunidades.

Inteligência emocional

Planejar os investimentos vai muito além de interpretar números e gráficos e envolve também o controle das emoções, sobretudo durante o inverno cripto.

Justamente por ser um período marcado pelo medo e incerteza, é comum encontrar investidores agindo por efeito manada, tomando decisões influenciadas pelas ações da maioria, como uma tentativa de buscar conforto ou mesmo por medo de enfrentar a situação sozinhos.

Na maioria das vezes, uma decisão generalizada como vender todo o portfólio tentando driblar a queda nos preços pode levar a escolhas equivocadas e fazer com que o investidor desvie da sua própria estratégia de investimento.

O importante aqui é pensar racionalmente para saber separar o joio do trigo: o inverno cripto oferece uma nova perspectiva para identificar quais são os ativos mais promissores a longo prazo, que de fato conseguem se sustentar nos momentos de baixa e se desenvolver mesmo em contextos negativos.

Saber aproveitar oportunidades

Entender a dinâmica dos ciclos de mercado e o inverno cripto ajuda a compor uma base de informações para fundamentar a tomada de decisão nos períodos de longas baixas.

Esse conhecimento facilita a identificação de oportunidades de comprar criptomoedas em queda em momentos de oscilações mais bruscas. Assim você pode fazer aportes parciais dos ativos mais sólidos nos quais você investe, melhorando seu preço médio. Também é possível encontrar os melhores momentos de entrada para estratégias de curto prazo.

Mas lembre-se: mais importante e seguro do que tentar prever quando acontecerá o próximo fundo, é conhecer bem os criptoativos do seu portfólio e entender as dinâmicas de mercado.

Nesse sentido, saber analisar tais movimentos e padrões de comportamento pode te levar a potencializar resultados.

Então, acompanhe o mercado frequentemente, leia notícias e busque análises de profissionais especialistas para auxiliar nesse processo.

No nosso Blog, Coinext Educação e canal do YouTube você encontra mais conteúdos educativos como esse e as principais notícias sobre criptomoedas para te ajudar na busca por informações, inclusive com dicas para passar por esse inverno cripto. Então, continue nos acompanhando.

Sobre o autor
Denio Grossi
Diretor de Growth na Coinext, especialista em tecnologia, criptomoedas, Blockchain e entusiasta do universo cripto como um todo.
Mais nesta categoria
Compre
Bitcoin e mais criptos na Coinext
3x eleita a melhor exchange brasileira
4,7
Inscreva-se