Hard Fork Ethereum London: A atualização do ETH

O Hard Fork London, atualização da Ethereum, acontecerá no dia 5 de agosto. Veja as propostas de melhorias e o que muda nos seus investimentos.

Por
Luiza Brito
5/8/2021
Hard Fork Ethereum London: A atualização do ETH

A Ethereum é a segunda maior criptomoeda do mundo, em termos de capitalização de mercado, acumulando incríveis US$270 bilhões. Ela foi a primeira criptomoeda a enxergar diferentes possibilidades e inovações para a blockchain, viabilizando tecnologias como os smart contracts e os dApps, aplicativos descentralizados.

Essa semana a cripto passa pelo que a comunidade está chamando de sua mais importante atualização, o Hard Fork London. Confira o que você vai aprender neste artigo:

  • O que é fork?
  • Hard Fork London
  • Quais são as propostas dessa atualização?
  • O que é EIP?
  • EIP-1559
  • EIP-3238
  • O impacto do fork para os investidores
  • Como se preparar para a atualização

O que é fork?

As criptomoedas, como já sabemos, são complexos sistemas que funcionam com um código-fonte aberto. Por isso, elas estão sujeitas a passar por algumas modificações em busca de otimizá-las, corrigir algum bug ou mesmo reestruturar a moeda e torná-la mais competitiva no mercado. 

Os forks, também chamados de bifurcações, são exatamente estas atualizações que o código da criptomoeda sofrerá. Toda e qualquer criptomoeda está sujeita a sofrer um fork, sempre em busca de aprimorar o seu código.  Para ficar mais claro ainda, basta seguir ao pé da letra o conceito fork, que traduzido do inglês significa garfo. Imagine que o código já existente da moeda é o cabo do garfo e, a partir do momento em que o sistema sofre as alterações, surgem novas possibilidades de códigos, que correspondem às bifurcações do garfo, transformadas em seus dentes.

Existem dois tipos de forks, os “softs” e os “hards”. O primeiro são alterações mais sutis e leves, não sendo necessário paralisar a cripto para que a atualização aconteça. São mudanças que ocorrem em segundo plano e muitas vezes os investidores nem percebem que foram feitas.

Já os hard forks são alterações mais significativas, intensas e complexas. Na maioria das vezes os hard forks que as moedas sofrem se tornam verdadeiros eventos, aguardados pela comunidade cripto e pelos investidores, pois trazem alterações fundamentais para a moeda e que podem causar grandes impactos na cripto, incluindo seu preço. É por este fork que a rede Ethereum passará no dia 5 de agosto de 2021. Vamos conferir o que exatamente implica esta atualização.

Hard Fork London

O Hard Fork Ethereum London é uma atualização da blockchain Ethereum, que ocorrerá na altura do bloco 12.965.000, dando sequência ao Hard Fork Berlin, que ocorreu em abril de 2021. Essa atualização London trará mudanças significativas, sobretudo no sistema de taxas de transação da Ethereum, além de também preparar os mineradores da rede para a mudança no protocolo de consenso da moeda que acontecerá, provavelmente, em 2022.

Este fork está intimamente relacionado ao lançamento da Ethereum 2.0, previsto para ser finalizado em 2022. Uma das principais mudanças que a rede sofrerá é justamente esta alteração em seu modelo de protocolo de consenso, do Prova de Trabalho (Proof of Work), para o Prova de Participação (Proof of Stake). Este fork veio para auxiliar a comunidade a fazer a transição de maneira segura e gradual, vamos entender melhor o porquê.

Quais são as propostas para essa atualização Hard Fork London? 

Toda atualização que ocorre na rede Ethereum por meio de uma EIP, Ethereum Improvement Proposals, em português significa Propostas de Melhorias Ethereum. 

O que é EIP?

As EIP’s são especificações técnicas que contêm a descrição de quais são os novos recursos que a blockchain da Ethereum irá obter, por meio do fork. Como já sabemos, as criptomoedas possuem código-fonte aberto, o que significa que qualquer pessoa pode sugerir melhorias e mudanças para a rede. 

No geral, os desenvolvedores e pessoas ativas da comunidade da Ethereum, criam suas propostas de melhoria e as disponibilizam para uma discussão. A própria comunidade decide se a proposta será aceita ou não, antes de iniciar todo o processo de mudanças. 

Toda EIP precisa seguir as diretrizes que foram definidas na EIP1, que giram em torno de que cada EIP deve fornecer especificações técnicas precisas dos recursos que serão necessários no processo e uma justificativa para a sua melhoria que está sendo proposta. 

Além disso, o autor da EIP deve seguir um processo para que sua proposta seja aprovada. Como as mudanças só ocorrem caso haja consenso na comunidade, ele precisa documentar as opiniões divergentes sobre a proposta e estudá-las para saber edificar um consenso entre as partes envolvidas.  Neste processo o autor também precisa revisar seus pares (peers) e rascunhos, para então, caso a proposta seja aceita pela comunidade, eles estabeleçam um roadmap de lançamento.

Para este hard fork de London, existem duas principais Propostas de Melhorias Ethereum que estão se destacando, a EIP-1559 e EIP-3238.

EIP-1559 

A EIP-1559 foi uma sugestão de melhoria feita pelo próprio criador da Ethereum, Vitalik Buterin, e sua equipe de desenvolvedores. A principal proposta desta EIP é a mudança na forma como os usuários pagam as taxas de trade da Ethereum, também chamadas de taxas da gas.

A EIP 1559 pretende criar uma nova forma de precificação das transações que ocorrem na rede Ethereum, criando uma taxa básica para cada bloco. Desta forma, a blockchain da moeda irá consumir a taxa, implicando na redução do fornecimento total de tokens Ether. Tal mudança criará uma pressão deflacionária sobre a criptomoeda.

A ideia é que a taxa básica altere de acordo com a demanda de cada bloco. Caso um bloco ultrapasse 50% de preenchimento com transações, a taxa básica aumentaria, e caso o bloco fique abaixo de 50%, a taxa diminuiria. Este mecanismo visa manter um nível de equilíbrio de 50% da capacidade dos blocos.

Caso o investidor queira priorizar sua transação, será possível pagar “gorjetas” aos mineradores, como um incentivo para essa priorização. Apesar desta possibilidade, o sistema tentará sempre manter a capacidade dos blocos em 50%, com ou sem as “gorjetas”. 

EIP-3238

Existe um mecanismo chamado de bomba-relógio de dificuldade, que fica embutido na rede da Ethereum. É este mecanismo que torna a mineração dos tokens Ether cada vez mais difícil, e uma vez que atingirmos o limite desta bomba-relógio, o tempo gasto para minerar cada bloco será muito longo, implicando numa queda na lucratividade dos mineradores e em transações muito lentas. Os desenvolvedores da Ethereum querem garantir que os mineradores não tenham escolha a não ser interromper totalmente a mineração na Ethereum 1.0 e assim passarem a minerar a nova rede Ethereum 2.0, após a conclusão de seu lançamento.

Porém, o grande ponto da questão é que a blockchain da Ethereum atingiria este limite da bomba-relógio de dificuldade antes mesmo do lançamento da Ethereum 2.0. Desta forma, a EIP-3238 é uma solução para tentar atrasar o alcance deste limite de dificuldade e incentivar que os validadores utilizem o protocolo de consenso Proof of Stake da Ethereum 2.0, ou prova de participação, no momento certo. Uma vez que esta é uma das principais mudanças da Ethereum 2.0, a rede precisa garantir que esta fusão ocorra com sucesso. 

Qual será o impacto do fork da Ethereum para os investidores?

Para os usuários, esta atualização é uma das mais importantes que a Ethereum já passou, pois ela traz as mudanças mais significativas para a rede. As altas taxas de trade que a Ethereum sempre possuiu, dificultava o acesso à moeda. Com o estabelecimento de uma taxa básica, a Ethereum conseguirá escalar ainda mais suas transações, que poderão ocorrer com mais rapidez e menor custo, tornando a moeda mais acessível, principalmente para aqueles que a utilizam para enviar remessas de dinheiro. 

Além disso, a preparação para mudança no protocolo de consenso, do Prova de Trabalho (PoW) para o Prova de Participação (PoS), que será uma grande virada para a Ethereum. Com essas melhorias, existe a possibilidade de presenciarmos um aumento no preço da Ethereum, por adotar um sistema deflacionário de validação das transações, e também a probabilidade de diminuir o tempo e o custo  das transações, apesar de não ser garantia. 

É importante lembrarmos que a transição do modelo de protocolo PoW para o PoS, prevista para a Ethereum 2.0, está planejada para apenas 2022. Sendo assim, a implementação do hard fork London será, até certo ponto, temporária. 

Como se preparar para a atualização

Se você investe em Ether pela Coinext, a sua preparação para a fork inclui seguir as nossas orientações. Como de costume, quando qualquer criptomoeda passa por algum fork desta magnitude, os serviços de saques e depósitos ficam suspensos por um período de tempo, correspondente ao intervalo em que a blockchain passará pelas alterações. Passado este período, a sua conta e a nossa plataforma voltam ao padrão, funcionando normalmente. 

Sendo assim, recomendamos fortemente a leitura do nosso artigo no suporte, no qual informamos por qual período os serviços ficarão suspensos e quais as possibilidades enquanto investidor.

Mais nesta categoria
CONTEÚDO PRODUZIDO POR
Essas análises são de responsabilidade da Mercurius e não são uma recomendação de investimento.
Assine nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo
Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Coinext.
Obrigado! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Oops! Revise seu email e insira um válido.
Concorra a Bitcoins e R$10.000 em prêmios!
Participe da Promoção Indique e Ganhe. Compartilhe seu link de afiliados com amigos e concorra automaticamente.
SAIBA MAIS
Feedback