O que é Ethereum 2.0?

Na transmissão oficial da Fundação Ethereum foi revelado que o Ethereum 2.0 está nos preparativos finais de lançamento. Descubra o que mudará na cripto.

Por
Equipe Coinext
Oct 17, 2020

O Ethereum (ETH) é a maior altcoin do mercado e o segundo criptoativo mais importante do setor. Mas você sabia que a moeda está para passar por uma atualização completa? A atualização Serenity, simplesmente chamada de Ethereum 2.0 vai mudar completamente o ecossistema da moeda e poderá modificar consideravelmente o criptomercado.

Desde o seu lançamento a rede Ethereum e o seu token nativo Ether (ETH) se mostram projetos competitivos e com muita usabilidade, apresentando pela primeira vez os contratos inteligentes e abrindo a possibilidade para o conceito de blockchain 2.0. Mas apesar de suas inovações, a blockchain Ethereum passou a apresentar sinais de que precisava evoluir além de atualizações na rede já existentes.

Com problemas de escalabilidade e até mesmo a dificuldade de mineração, o time de desenvolvedores do Ethereum, incluindo o seu criador Vitalik Buterin, começaram o projeto Ethereum 2.0 para levar a blockchain para um novo nível.

Conheça quais são as melhorias que a atualização Serenity vai trazer para o Ethereum e, mais importante, como isso vai afetar o ecossistema atual da moeda.

Ethereum x Ethereum 2.0 - Quais a diferenças?

Vale lembrar que, apesar de estar bem próxima, essa atualização não é nenhuma uma novidade para a comunidade do projeto. As mudanças vêm sendo discutidas nos anos, além de diferentes preparações para a Fase 0 que começaram ainda em 2016 (com a atualização Homestead).

O Ethereum 2.0 vai ser implementada em três fases e o objetivo final é tornar a rede mais ágil, com maior escalabilidade e com mais confirmações de transações por segundo, diminuindo o gargalo da blockchain.

Para alcançar esse objetivo a principal base do Ethereum 2.0 será a migração do algoritmo de Proof of Work (PoW, ou Prova de Trabalho) para o de Proof of Stake (PoS, Prova de Participação).

Qual a diferença do Proof of Work e o Proof of Stake do Ethereum 2.0?

Por ser descentralizada, a Blockchain precisa atingir um consenso sobre as transações entre os participantes da rede. O Bitcoin e o atual Ethereum fazem isso através do Proof of Work, onde o poder computacional para confirmação de blocos é gerado por nós, essa é a famosa mineração de uma criptomoeda.

A mineração depende de um consumo muito alto de energia, além de excluir pequenos participantes com equipamentos mais fracos. O Proof of Stake surgiu como uma solução para isso, dependendo muito menos da capacidade computacional de um nó participante.

Proof of Work e Proof of Stake
Proof of Work e o Proof of Stake são os protocolos bases para todos os projetos do criptomercado e garantem a segurança de suas redes

Os participantes de uma blockchain com protocolo PoS atuam ao colocar um certo número de moedas em um contrato (staking) e rodarem um software em seus computadores. Quanto mais moedas colocadas no contrato mais poder de confirmação de blocos um nó terá e consequentemente mais recompensa ele vai receber.

Nesse modelo a recompensa para os validadores é gerada através das taxas de transação da rede e não da mineração de novos blocos. A atualização do Ethereum 2.0 para o Proof of Stake quer levar essas vantagens para os participantes da rede, fortalecendo os casos de uso do Ethereum.

Quando Ethereum 2.0 estará no mercado?

Essa é uma resposta um pouco complicada, já que há muito por trás dessa importante atualização. Desde 2016 estão sendo realizados testes e a ideia inicial é que o projeto já tivesse sido lançado, mas por causa de novas descobertas e correções de vulnerabilidades o lançamento da Fase 0 foi adiada e não tem prazo definido.

No entanto, os testes e o desenvolvimento da atualização parecem estar bem avançados. Na primeira metade de outubro de 2020 durante um encontro dos Devs do Ethereum, foi informado que os testes da Fase 0 no Testnet Zinken foram um sucesso. Com isso, a equipe por trás do projeto está buscando um lançamento ainda em 2020.

A atualização seguirá as seguintes fases:

  • Fase 0 – Lançamento previsto para 2020 (pode acontecer novos atrasos). Na primeira fase da atualização com introdução da Beacon Chain, uma rede de “transferência” que vai armazenar dados, registrar validadores e introduzir o sistema de PoS. O algoritmo de PoW vai continuar rodando paralelo à Beacon para não haver divergência na continuidade de dados.
  • Fase 1 – Lançamento previsto para 2021. A segunda fase da atualização vai acrescentar as redes secundárias chamas de shards chains. Inicialmente a blockchain terá 64 shards, permitindo 64x mais confirmações do que no Ethereum 1.0.
  • Fase 1.5 – Também com previsão para 2021. Essa atualização vai acrescentar a antiga blockchain Ethereum como uma shard e a rede como um todo passará para PoS.
  • Fase 2 – Prevista para o final de 2021 ou começo de 2022. Parte final da transição da rede, com os shards se tornando completamente ativos e com compatibilidade com contratos inteligentes. Nesta fase as contas Ether serão ativadas e as transferências e saques poderão começar.

Com os testes indo bem, é bem provável que a previsão se cumpra e teremos o Ethereum 2.0 até o começo de 2022.

Qual será o impacto contra o Ethereum atual?

O que o Ethereum 2.0 poderá causar na valorização da moeda Eth?
O que o Ethereum 2.0 poderá causar na valorização da moeda Eth?

O Ethereum 2.0 trará um grande impacto para o ecossistema da rede e principalmente para os usuários. Na teoria a “simples” mudança de PoW para PoS vai garantir muito mais velocidade para a rede, tanto em relação às transações quanto para o uso e desenvolvimentos de dApps (aplicativos descentralizados).

Não apenas isso, mas o custo para manter a rede e seus nós também vai diminuir a pegada de carbono gerada pelo ecossistema e seus mineradores. No fim das contas, a rede Ethereum será muito mais ágil e poderá ter uma adoção maior para investidores e até desenvolvedores.

Tudo isso enquanto, segundo Vitalik e os devs da rede, a segurança continua sendo a mesma, assim como os incentivos para os participantes da blockchain.

Mas o que exatamente isso pode afetar no criptoativo e no seu valor?

Os investidores e holders de Ether estão animados com essa atualização porque ela pode representar um aumento de usabilidade do Ethereum e, consequentemente, uma maior valorização do ativo no longo prazo.

Assim como o Bitcoin, o ETH é um ativo que tem seu valor definido pela oferta e demanda. Por isso, caso a atualização resolva os problemas que supostamente mantêm a blockchain pouco escalável e adotada em massa, é possível que o ativo digital tenha aumento no seu valor.

Vale ressaltar que a comunidade não é unanime quando o assunto é a atualização. Alguns estão preocupados com os riscos à segurança e principalmente a possibilidade de o novo sistema trazer centralização para o ecossistema.

No entanto, a equipe de desenvolvimento garante que esses não serão problemas no futuro.

Mais nesta categoria
Ver todos >
CONTEÚDO PRODUZIDO POR
Essas análises são de responsabilidade da Mercurius e não são uma recomendação de investimento.
Assine nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo
Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Coinext.
Obrigado! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Oops! Revise seu email e insira um válido.
Feedback