O futuro do mercado cripto: DeFi e NFT. Report da Mercurius Feveiro

Confira as principais notícias do mercado de criptomoedas, os destaques do mês e muito mais no relatório de fevereiro da Mercurius Crypto. Aproveite!

Por
Mercurius Crypto
12/3/2021
O futuro do mercado cripto: DeFi e NFT. Report da Mercurius Feveiro

No report deste mês (01/02/2021 a 28/02/2021)

Atualização

  • Notícias do Mercado
  • Dica e destaque do mês

Além do Bitcoin

  • Um novo mercado
  • DeFi e NFTs

DeFi: Um Novo Sistema

  • Crescimento do mercado
  • Mercado DeFi
  • Criação de infraestrutura

NFT: Arte em Cripto

  • O que são os NFTs
  • O mercado do futuro

Report completo disponível para download aqui!

Por dentro do mercado

Institucionais em DeFi: Novo índice da Bitwise

Uma das maiores gestoras do mundo das criptomoedas, a Bitwise, lançou nesse mês um índice apenas de DeFi. Esse novo produto desenvolvido pela gestora reforça o desejo dos investidores institucionais de estarem expostos ao segmento de finanças descentralizadas

O primeiro ETF de criptomoedas: Mais um passo rumo ao crescimento do mercado

Nesse mês foi aprovado o primeiro ETF de Bitcoin da América do Norte. O produto foi um sucesso e atingiu mais de 400 milhões de dólares sob gestão em apenas dois dias. Esse sucesso evidenciou o desejo dos investidores institucionais por exposição ao mercado de criptomoedas de forma simples e regulada.

Dica do mês

Você está diversificando da forma errada!

Uma das perguntas que mais escutamos aqui na Mercurius é: “devo comprar apenas uma criptomoeda ou montar um portfólio diversificado?”.

Para responder essa pergunta, gostaria de compartilhar o conselho do nosso Portfólio Manager, Gabriel Bearlz.

“A primeira conclusão é óbvia: Um portfólio diversificado entre vários ativos dilui o risco da sua carteira. Harry Markowitz ganhou o Nobel de Economia de 1990 justamente por desenvolvera Teoria Moderna do Portfólio, uma teoria que mostra que o risco de um portfólio é diluído de acordo com sua diversificação."

Nesse trabalho, Markowitz mostra que existe um ponto de diversificação ideal em que é possível aumentar o seu potencial retorno, enquanto o risco é diluído. Porém, diversificar seu portfólio em ativos em que você desconhece o risco significa concentrar o risco na falta de conhecimento. Antes de investir em alguma altcoin, faça questão de cumprir um checklist de perguntas essenciais para medir seu entendimento sobre o ativo, tais como número de desenvolvedores, históricos de falhas, política monetária, entre outros.”

Destaque do mês

Coinbase

O ano de 2021 tem sido marcado pela entrada de diversos investidores institucionais no mercado de criptomoedas. Esse investimento não está ocorrendo apenas através do aporte direto em ativos digitais, mas também através do investimento em empresas. Um dos melhores exemplos desse movimento de institucionalização do mercado de criptoativos é a listagem em bolsa da Coinbase, a maior corretora norte-americana da atualidade.

A gigante dos criptoativos possui mais de 43 milhões de usuários ativos e mais de 90 bilhões de dólares sob custódia. Atualmente, o valuation da companhia (baseado no valor de suas ações) está em mais de 100 bilhões de dólares. Essa marca de valor de mercado faz com que a Coinbase seja a companhia mais valiosa a ser listada na Nasdaq desde o IPO do Facebook, um sinal claro da receptividade dos investidores institucionais ao segmento das criptomoedas.

DeFi: Um novo sistema

Quando comentamos sobre segmentos em crescimento no mercado de criptomoedas, não podemos deixar de falar em DeFi. Esse segmento, que possui um pouco mais de quatro anos, apresentou um crescimento de mais de 37 vezes do capital operado em suas plataformas nos últimos doze meses.

Esse crescimento exponencial fez com que projetos como a Uniswap, Maker, Aave,Synthentix, entre outros, superassem a marca de 1 bilhão de dólares de valor de mercado e se tornassem verdadeiros “unicórnios” do mercado de criptomoedas.

Apesar desse crescimento exponencial apresentado nos últimos meses, esse mercado ainda representa uma parte muito pequena do ecossistema cripto (menos de 6%), possuindo um grande potencial para crescer ainda mais.

defi-gráfico
(Imagem: report Mercurius)

O potencial para o crescimento do ecossistema DeFi está nas milhares de aplicações que ainda não se tornaram comuns aos usuários de cripto. Protocolos como a Nexus Mutual e a yearn.finance, que possibilitam desde a criação de seguros dentro do ecossistema de criptomoedas até a gestão automatizada de fundos, ainda são pouco difundidos entre a comunidade.

Essa baixa aderência é causada principalmente por dois fatores principais: a falta de conhecimento e a falta de infraestrutura para a utilização dessas aplicações, algo muito natural para um mercado que possui menos de cinco anos de existência.

ecossistema-defi
(Ecossistema DeFi. Imagem: report Mercurius)

Esses dois principais problemas para a expansão do ecossistema DeFi estão sendo resolvidos principalmente pela entrada de capital institucional no segmento. A exemplo da movimentação dos investidores institucionais em relação ao mercado de finanças descentralizadas, nesse mês tivemos o lançamento do Bitwise DeFi Crypto Index Fund, um fundo com foco em investir nas vinte principais DeFi presentes na blockchain da Ethereum.

O movimento realizado pela Bitwise não é único, visto que diversas outras gestoras, principalmente fundos de Venture Capital, realizaram investimentos em projetos desse ecossistema.

Apenas nessas duas últimas semanas tivemos o aporte de 40 milhões de reais da Alameda Research na Oxygen, uma provedora de infraestrutura para o mercado DeFi, e o aporte de 12 milhões de dólares realizado pela Coinbase Ventures na Synthetix.

Essas movimentações revelam a construção de uma infraestrutura para suportar grandes investidores institucionais no ecossistema DeFi, um movimento muito semelhante ao que ocorreu com o Bitcoin no final de 2017. A criação dessa infraestrutura potencializa ainda mais a valorização do ecossistema DeFi, caso sua demanda comece a crescer ainda mais.

(Alguns dos principais players de VC que estão investindo em DeFi. Iamgem: report Mercurius)

NFT: Arte em cripto

Não foi apenas o segmento DeFi que apresentou um crescimento significativo nos últimos meses. O segmento de NFT (tokens não fungíveis) cresceu mais de 70 vezes nos últimos cinco meses.

Esse desenvolvimento exponencial está atrelado ao surgimento do mercado de arte cripto colecionável, que apenas no último mês movimentou mais de 70 milhões de dólares em plataformas como a SuperRare e Nifty Gateway.

Esse crescimento das “cripto artes” começou a chamar a atenção tanto de fundos de Venture Capital quanto das grandes galerias de arte do mundo.

arte-cripto
(Volume mensal negociado em arte cripto - em milhões de dólares. Imagem: repor Mercurius)

Para os investidores que ainda não conhecem o mercado de NFTs, de forma breve, trata-se de um mercado de tokens não fungíveis, ou seja, únicos, que são registrados em Blockchains. Esses ativos são negociados como colecionáveis ou como obras de arte em diversos marketplaces.

Através do formato descrito acima, é permitido que qualquer pessoa crie sua arte de forma digital e possa realizar a sua negociação em marketplaces de forma simples e 100% digital. Tal inovação culminou na criação de diversos itens colecionáveis, desde cartas de jogadores da NBA até obras de arte realizadas por desenhistas associados a editoras como a Marvel e a DC.

(Principais NFT da SuperRare. Imagem: report Mercurius)

Dado toda essa movimentação de artistas e empresas que desenvolvem itens colecionáveis para ingressar no mercado de arte em cripto, torna-se relevante paraos investidores de criptomoedas acompanhar e compreender os principais marketplaces desse segmento.

Pensando em facilitar a sua interação com o ecossistema de NFTs, acredito que uma das melhores dicas que poderia te dar nesse report é a de conhecer as plataformas OpenSea, Rarible e SuperRare. Acredite, não são apenas os investidores de varejo que estão de olho esse mercado.

Recentemente uma das maiores galerias de arte do mundo, a Christie`s realizou a venda da obra Block 21 por mais de 130 mil dólares. Essa venda evidencia que o mercado de NFTs está mudando a sua imagem de ser algo “divertido ou engraçado”, mostrando que este possui espaço para, no futuro,e star presente nas maiores galerias de arte do mundo.

block21
(Block 21 de Robert Alice. Imagem: report Mercurius)

Quer acompanhar o restante deste relatório? Acesse o conteúdo completo aqui, totalmente gratuito!
Mais nesta categoria
CONTEÚDO PRODUZIDO POR
Essas análises são de responsabilidade da Mercurius e não são uma recomendação de investimento.
Assine nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo
Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Coinext.
Obrigado! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Oops! Revise seu email e insira um válido.
Novas moedas na Coinext.
Você até dia 4 de abril.
Serão 5 novas criptomoedas listadas a partir de abril e você pode escolher suas preferidas entre 8 opções.
Vote agora
Feedback