Bitcoin Faucet: Entenda o que é isso e se vale a pena

Você já deve ter ouvido falar sobre bitcoin faucet, como uma forma de ganhar bitcoin de maneira gratuita. Será que isso vale a pena? Entenda melhor aqui.

Por
Luiza Brito
13/8/2021
Bitcoin Faucet: Entenda o que é isso e se vale a pena

Ter bitcoins é demais, não é? Mas ganhar bitcoins, sem precisar comprar, seria o paraíso não? Para quem não sabe, existe uma maneira de ganhar algumas frações de bitcoins pela internet, o que chamamos de Bitcoin Faucet. Entenda tudo sobre o tema no artigo de hoje e veja se vale a pena esta prática.

  • Por que foi criado?
  • Como funciona?
  • Mas vale a pena?
  • Quais outras formas de adquirir bitcoin de maneira segura?

O Bitcoin Faucet é uma prática que consiste em  alguns sites e portais da internet fornecerem pequenas frações da moeda para as pessoas em troca de algumas ações que o usuário deve fazer. Faucet, do inglês, significa torneira. Neste caso, a expressão é uma alusão a uma torneira pingando, as gotas de água seriam as frações do Bitcoin que são distribuídas aos usuários do site. 

Por que foi criado?

A primeira prática de Bitcoin Faucet foi criada por Gavin Andresen, um dos principais desenvolvedores do Bitcoin Core, que criou o “The Bitcoin Faucet”, em junho de 2010. O desenvolvedor criou o projeto com o intuito de divulgar a criptomoeda e torná-la mais conhecida e utilizada pela sociedade. Ele distribuía 5 bitcoins para os usuários que realizassem algumas tarefas. Na época, o Bitcoin possuía quase nenhum valor de mercado, chegando a apenas alguns centavos de dólar. 

Além disso, como o projeto ainda era muito novo, conseguir Bitcoin não era algo muito fácil, não haviam muitas opções de corretoras e o mercado P2P era tão desconhecido quanto a própria moeda. Afinal, para haver um mercado P2P consolidado é preciso que haja compradores e vendedores da cripto, dispostos a fazer as trocas entre si. 

Sendo assim, Andressen descobriu uma maneira muito inteligente de inserir o Bitcoin na sociedade, de fomentar a curiosidade em torno da moeda e de trazer as pessoas para perto deste mercado. Neste cenário, a ampla distribuição do Bitcoin foi extremamente necessária para que nascesse a comunidade cripto e os admiradores da moeda.


Primeira faucet de Bitcoin

No caso do Faucet de Andresen, tudo que os usuários precisavam fazer era preencher esse captcha, e assim buscar seus bitcoins.

Como funciona?

As faucets, como explicamos acima, são sites, fóruns, ou mesmo aplicativos, que remuneram seus usuários com bitcoins, ou outras criptomoedas, em troca da realização de pequenas tarefas simples, como assistir à vídeos de anúncios, propagandas, clicar em links que a empresa quer promover e por aí vai.

Quando foi criado o conceito da prática, existia apenas o Bitcoin como criptomoeda, e foi com o intuito de torná-la mais conhecida pela sociedade e assim impulsionar a moeda. Hoje em dia é comum vermos Faucets com outras criptomoedas. Quando a Dogecoin foi criada, por exemplo, era comum que usuários do Reddit, fórum que serviu de inspiração para a criação da cripto, ganhassem unidades da moeda em troca da produção de alguns conteúdos relacionados à cripto ou à tecnologia. Até hoje, pelo seu valor de mercado ser baixo, ainda é comum vermos essa prática com a Dogecoin. 

Momento curiosidade: uma das mentes mais brilhantes do mercado cripto, Vitalik Buterin, o principal criador da Ethereum, já participou de esquemas de Faucets. O desenvolvedor, quando estava estudando e descobrindo a tecnologia das criptomoedas, passou um tempo escrevendo artigos para a Bitcoin Magazine em 2014, e era remunerado com unidades de Bitcoin.

Em geral, os Faucets de Bitcoin remuneram seus usuários com a menor fração possível da moeda, chamado de Satoshis, correspondente a 0,00000001 Bitcoin. Graças ao preço competitivo de mercado do Bitcoin atualmente, não é possível mais remunerar os usuários com unidades inteiras da moeda. Bem que a gente queria, não é mesmo?

Os satoshis que as pessoas ganham com os Faucets são depositados na carteira de criptomoedas do usuário ou em uma carteira disponibilizada pelo próprio site ou aplicativo. Neste último modelo, pode ser comum que os sites exijam que o usuário atinja um determinado valor para conseguir sacar as suas criptomoedas desta carteira para sua carteira externa.

Atualmente, o método Faucets ainda existe, e é possível encontrar essa prática para praticamente todas as criptomoedas. Existem sites como o Bit Fun que oferecem pequenas frações das criptos em troca do usuário jogar alguns jogos, enquanto fornece uma pequena parte do processamento do seu computador para o site. Quando quiser interromper o jogo, é possível sacar as suas quantidades de satoshis, que foram combinadas previamente de acordo com as instruções do site, bastando apenas resolver alguns Captchas. 

Se você se interessou pelo Faucet, existem lugares que trazem listas de outros sites e portais que o praticam, e com quais criptomoedas os respectivos sites trabalham. Um exemplo é o Lista Bitcoin, no qual você encontra todas essas informações.

Já existem, também, sites voltados para essa prática, que funcionam como carteiras momentâneas, nas quais você pode deixar suas frações de criptomoedas enquanto acumula o valor necessário para conseguir sacar para sua carteira pessoal. Um exemplo é o Coin Pot, muito utilizado para quem quer acumular algumas pequenas quantias de moedas como Bitcoin, Bitcoin Cash, Litecoin, Dogecoin e muitas outras. 

Mas vale a pena?

Apesar de ser uma prática legalizada, os Faucets não são feitos com o intuito de tornar os usuários ricos ou de ser uma atividade lucrativa. A ideia, no conceito, pode parecer incrível e tentadora, mas na prática você não conseguiria de fato ter um lucro expressivo. 

Além disso, existem diversos riscos envolvidos na atividade. Só o fato de, em alguns casos, você precisar deixar suas criptomoedas em sites que funcionam como carteiras digitais já é bem arriscado. 

Também pode acontecer de você ser atraído para um golpe disfarçado de Faucet, no qual hackers se aproveitam que você irá navegar pelo site e clicar em algum link, como são as ações solicitadas, e podem instalar malwares no seu computador, acessando seus dados pessoais ou mesmo tomando o controle do seu computador por inteiro. Nem preciso dizer que isto é um prato cheio para as pessoas mal intencionadas, não é? Ainda mais se você já for um investidor de cripto e guardar sua chave da carteira em algum lugar no seu computador. 

Um outro ponto importante a ser ressaltado é que o Faucet é considerado uma espécie de mineração, uma vez que para alguns modelos você cede uma parte do processador do seu computador. Sendo assim, caso for realizar a prática tome cuidado de não realizá-la em local de trabalho e utilizando o computador da sua empresa, pelos mesmos riscos de invasão de algum hacker mal intencionado. Além disso, toda empresa possui suas normas e políticas de segurança, podendo acarretar em sérias consequências tanto para o funcionário que fizer a prática, quanto para a empresa. 

Também sempre desconfie de promessas boas demais para ser verdade, que oferecem grandes quantias das criptomoedas em troca de atividades pequenas. As chances de isso ser um golpe para atrair os desavisados são muito grandes.

Então, podemos concluir que os Faucets podem até ser uma maneira divertida de levantar mais investidores e fomentar o mercado cripto, mas não chega a representar um investimento sustentável em criptomoedas, muito menos uma atividade séria e lucrativa. 

Quais outras formas de adquirir bitcoins de maneira segura?

Como já sabemos, é possível adquirir criptomoedas, sobretudo, por meio de corretoras como a Coinext,, ou por meio da mineração.

A mineração não é para todos, pois é necessário que o minerador disponha de equipamentos específicos e computadores muito potentes, que precisam ficar ligados e funcionando 24 horas por dia, além de precisarem estar em um ambiente com refrigeração também 24 horas por dia. Se você tem tempo, dinheiro e paciência suficiente para apostar na atividade, ainda assim, precisa se atentar a outras variáveis que podem dificultar o seu lucro no processo.

Ou então, você pode optar pelo investimento, que pode ser feito por uma corretora ou por meio do mercado P2P, ponto a ponto. A principal diferença entre os dois modos de investir, de maneira resumida, é que no mercado ponto a ponto você negocia diretamente com o outro investidor. A negociação ocorre totalmente na base da confiança, uma vez que nada garante que você receberá o seu dinheiro depois de enviar suas criptomoedas, ou vice-versa. 

Investindo por uma corretora, você contará com este intermediário que garante que todo o processo ocorra perfeitamente. A forma mais segura de se investir em Bitcoin e outras criptomoedas sempre será por meio de uma corretora de confiança, como a Coinext. 

Além de ter todas as medidas necessárias para você operar com segurança e sem se preocupar com invasões hackers ou com a perda repentina das suas moedas, você tem uma série de oportunidades, opções diferentes de ordens, conteúdos educativos e um suporte humanizado disponível para tirar suas dúvidas em tempo real. 

Aproveite para abrir sua conta gratuita aqui na Coinext e comece a investir em Bitcoin a partir de R$25,00. 

Mais nesta categoria
CONTEÚDO PRODUZIDO POR
Essas análises são de responsabilidade da Mercurius e não são uma recomendação de investimento.
Assine nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo
Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Coinext.
Obrigado! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Oops! Revise seu email e insira um válido.
Concorra a Bitcoins e R$10.000 em prêmios!
Participe da Promoção Indique e Ganhe. Compartilhe seu link de afiliados com amigos e concorra automaticamente.
SAIBA MAIS
Feedback