Tudo sobre Shiba Inu Coin

Considerado uma alternativa à Dogecoin, a criptomoeda Shiba Inu Coin (SHIB) é baseada no protocolo ERC-20 da rede Ethereum e possui várias diferenças e melhorias que a diferenciam da DOGE. Tem chamado a atenção de investidores pela alta e rápida valorização, mas exige alguns cuidados dos que pretendem começar. Entenda tudo neste artigo!

Bitcoin (BTC)
Ethereum (ETH)
Litecoin (LTC)
Ripple (XRP)
Bitcoin Cash (BCH)
Tether Dólar (USDT)
Cardano (ADA)
Chainlink (LINK)
Stellar (XLM)
Dogecoin (DOGE)
EOS
Axie Infinity (AXS)
Chiliz (CHZ)
SushiSwap (SUSHI)
USD Coin (USDC)
Binance Coin (BNB)
Smooth L. Potion (SLP)
Uniswap (UNI)
Polkadot (DOT)
PancakeSwap (CAKE)
Shiba Inu Coin (SHIB)

O que é Shiba Inu Coin (SHIB)

Redação Coinext

Quem já conhece a Dogecoin (DOGE), talvez já tenha ouvido falar também da Shiba Inu Coin (SHIB). Isso porque, apesar de algumas diferenças objetivas que veremos nesse artigo, as duas criptomoedas têm um contexto bastante parecido, inclusive do personagem que é o símbolo de ambas: o cachorro da raça famosa no japão, a Shiba Inu.

Primeiramente, é fundamental entender que o projeto da Shiba Inu Coin (SHIB) é ainda bastante embrionário, criado em agosto de 2020 na rede ERC-20 da Ethereum. Como toda criptomoeda com pouco tempo de mercado e valorizações repentinas sem muitos fundamentos claros, representa um risco para investidores que buscam um investimento mais seguro e rentável no longo prazo.

Nesse sentido, o token Shiba Inu (SHIB) pode ser considerado, pelo menos por enquanto, um criptoativo bastante especulativo (ainda que tenhamos ressalvas que serão consideradas mais à frente neste artigo). Portanto, por mais que ele tenha em seu desenvolvimento características que podem torná-lo mais maduro no longo prazo, neste momento, do ponto de vista de uma análise fundamentalista, o SHIB pode oferecer grandes riscos aos investidores.

Por outro lado, nos últimos meses de 2021, se mostrou uma das principais oportunidades para aqueles traders que estão dispostos ao risco de especular para obter lucros altos e rápidos. Apenas entre o fim de outubro e o começo de novembro, por exemplo, registrou valorização superior a 150%. 

E aqui cabe lembrar da máxima em investimentos: quanto maior a promessa de ganho, maior o risco que o investidor precisa estar disposto a correr. Neste artigo, demonstraremos os fatores importantes para que você avalie tudo sobre a moeda antes de considerar investir e compor sua carteira. Fique atento aos riscos e tome decisões conscientes. Quanto mais compreender o mercado, maior a chance de fazer bons trades.

Como surgiu o token Shiba Inu Coin

Criado em agosto de 2020 por um indivíduo ou grupo anônimo chamado Ryoshi, o token Shiba Inu Coin (SHIB) é uma considerado uma altcoin (ou criptomoeda alternativa). Foi criado baseado no protoloco ERC-20 da Ethereum e, apesar de comparado à DOGE, possui várias diferenças e melhorias que comentaremos a seguir neste artigo. 

O token SHIB, que também pode ser chamado de criptomoeda, apresenta o cachorro de raça Shiba Inu como seu mascote, que também é o ícone da moeda. Ele é considerado uma alternativa à Dogecoin (DOGE), e seus criadores e entusiastas o definem como o "assassino do Dogecoin". Essa comunidade de apoiadores e entusiastas é conhecida como ShibArmy (em tradução para o português, Exército Shib).

Uma curiosidade é que seu white paper (o nome dado ao documento de lançamento de um projeto que apresenta sua proposta e diretrizes) foi apelidado de “Woof Paper”, um trocadilho com a palavra que em portugês pode ser traduzida como latido.

Como funciona

De acordo com o seu white paper (ou Woof Paper), a Shiba Inu Coin foi desenvolvida como resposta a uma demanda simples: "O que aconteceria se um projeto de criptomoeda fosse 100% gerido por sua própria comunidade?". Portanto, o seu fundador anônimo autodenominado Ryoshi atribui a criação do token SHIB a um "experimento de construção de uma comunidade espontânea descentralizada". De acordo com ele, o poder da descentralização coletiva pode construir algo mais forte do que uma equipe centralizada poderia criar. 

Como veremos em detalhes neste artigo, hoje o projeto possui, dentre outras coisas, três tokens (criptomoedas), uma exchange descentralizada (DEX) e um mercado de arte NFT.

Semelhanças e diferenças entre Dogecoin (DOGE) e Shiba Inu (SHIB)

Para começar, é fundamental entender que ambas as moedas surgiram como uma piada, um meme de internet, com pouca pretensão de serem criptomoedas mais sérias. E apesar desse contexto de criação aproximá-las, é também um ponto onde passaram a se diferenciar. Isso porque, enquanto a Dogecoin (DOGE) acabou se perpetuando como uma criptomoeda com poucos fundamentos técnicos que explicam sua valorização, o projeto da Shiba Inu (SHIB) tem expandido seu ecossistema e agregado possibilidades que podem ajudá-la a se manter relevante no médio ou longo prazo. Pelo menos é o que tentam demonstrar sua equipe e integrantes da sua comunidade. Mas vamos às principais semelhanças e diferenças.

As moedas Meme

Se você pesquisar a palavra meme em alguns dicionários, verá algo parecido com “Imagem, vídeo, frase, expressão, parte de um texto etc., copiada e compartilhada rapidamente e através da Internet, por um grande número de pessoas, geralmente com um teor satírico, humorístico ou para zoar uma situação ou pessoa”. E nenhuma definição poderia explicar melhor a Dogecoin e a Shiba Inu Coin.

Elas foram criadas como Meme e, como apontam muitos analistas, ainda que possam representar oportunidades especulativas de lucro à medida que são adotadas por grande parte do mercado, aportar parte relevante dos seus recursos financeiros nelas pode ser um erro estratégico. Uma carteira de criptomoedas saudável deve ser diversificada e contar, majoritariamente, com opções consolidadas no mercado e que possuam fundamentos objetivos.

Valorização rápida e especulação na internet

Além do contexto de terem sido criadas baseadas em um meme, outro ponto de semelhança entre elas foi seu rápido efeito de crescimento viral, que pode explicar boa parte de sua valorização. Visto que muitos analistas não conseguem encontrar uma relação de causa e efeito entre acontecimentos do mercado e variações de preço, o mais aceito é que o efeito de rede gerado pelas redes sociais e pela mídia pode ter impulsionado sua adoção e, consequentemente, sua valorização. Portanto, é o básico sobre mercados: lei da oferta e da demanda. E por mais que isso tenha um efeito prático em seu preço, atente-se apenas para o fato de que demandas podem ser geradas de forma artificial.

A Shiba Inu (SHIB) também compartilha uma trajetória parecida com a Dogecoin (DOGE) em outros aspectos, como publicidade gratuita feita pelo empresário bilionário Elon Musk (conhecido por manipular mercados), alta visibilidade na mídia, um grande grupo de fãs e uma comunidade engajada, além de promessas de ganhos altos em pouco tempo. 

Diferentes redes e sistemas de mineração

Agora que você já conhece as principais semelhanças entre as duas, é importante também considerar diferenças importantes. A primeira e mais óbvia delas é que, por mais que a Shiba Inu Coin (SHIB) tenha sido inspirada pela Dogecoin (DOGE), ela é uma projeto mais complexo. Ainda que também funcione em uma rede descentralizada, a rede Shiba trabalha com o mecanismo de validação e mineração de Proof of Stake (PoS), compartilhando o mecanismo da Ethereum, enquanto o Dogecoin trabalha com a Proof of Work (PoW), em uma blockchain própria originada de bifurcações mais antigas do Bitcoin.

Emissão de novos tokens

Aqui a vantagem é clara para a SHIB. Ainda que tanto o Dogecoin quanto a Shiba possuam uma grande quantidade de unidades em circulação, essa última possui uma limitação na quantidade que será disponibilizada, de 1 quatrilhão de tokens. Já o Dogecoin tem uma emissão menos controlada, que continua sendo feito de forma ilimitada. Nesse ponto, também a Shiba é considerada uma criptomoeda mais voltada para a comunidade, visando torná-la mais sustentável no longo prazo para manter sua relevância para quem participa do seu ecossistema. Falando em ecossistema, vamos a outra diferença importante.

Ecossistema e projetos

Ainda que seja criada no contexto do Meme, a equipe da Shiba foi além da Dogecoin e construiu um ecossistema mais complexo, que inclusive possui mais outros dois tokens (LEASH e BONE). Além disso, possui também uma exchange descentralizada (DEX), além de ser possível fazer stake para obter rendimentos em outras exchanges descentralizadas, como Uniswap e SushiSwap.

Um dos nomes por trás do projeto também anunciou que o ecossistema da Shiba Inu também ganhará um mercado de NTF, em que será possível negociar arte digital com os tokens da rede. Também foi anunciada uma carteira própria. Portanto, é possível que a SHIB obtenha ainda mais relevância no médio ou longo prazo, ainda que isso não se reflita necessariamente do preço da moeda.

Principais vantagens e desvantagens da Shiba Inu Coin (SHIB)

Riscos

Como você pôde perceber ao longo deste artigo, as principais desvantagens da Shiba tem a ver com sua alta volatilidade e a falta de fundamentos claros para explicar uma valorização tão repentina. Especialistas apontam diversos fatores que podem ter influenciado, mas a relação causa e efeito não são tão objetivas. Ainda que se possa aproveitar esse movimento para lucrar, é bastante provável que muitos traders com menos experiência façam compras e vendas em momentos errados e acabem perdendo dinheiro. 

Por isso, é fundamental compreender bem esse mercado para acompanhar os momentos em que reversões de tendência e correções de preço aconteçam. Nesses casos, uma dica sempre boa é acompanhar notícias e análises em portais especializados. Além disso, para reduzir seu risco, considere compor sua carteira de criptomoedas com um percentual baixo aportado em moedas ainda novas no mercado e que estão sendo alvo de alta especulação.

Crescimento da adoção

Ainda que as valorizações tão altas e repentinas não estejam objetivamente explicadas, a maior adoção da Shiba Inu Coin (SHIB) globalmente por investidores e empresas é um bom sinal de que a moeda pode se tornar mais relevante. Sabemos que boa parte das coisas obtêm valor à medida que a sociedade atribui um valor e utilidade a elas. Nesse sentido, investir em alguns ativos enquanto ainda estão em crescimento pode gerar oportunidades futuras. 

No entanto, um grande desafio para qualquer investidor é compreender qual o real valor pode ser atribuído a algo e, principalmente, se o preço que aquele item possui agora está adequado ao seu real valor para a sociedade.

Crescimento da Shiba Inu

Lançado em meados de agosto de 2020, o token Shiba Inu (SHIB) se manteve com preço lateralizado (estável) até meados de maio de 2021. Nesse período, com a bull run do Bitcoin e de várias outras criptomoedas, o SHIB acabou surfando a onda de grande valorização e também viu seu preço disparar. No entanto, com a correção do mercado como um todo, ela também viu sua cotação retornar a valores menores, mas ainda assim bem superiores aos valores de maio.

Valorização em outubro e novembro de 2021

Esse movimento acabou atraindo muitos investidores e especuladores para a SHIB, que conseguiu manter seu preço relativamente estável de junho a outubro de 2021, mês em que tudo mudou para esse token.

Em outubro, a moeda viu seu preço disparar e, em movimento parecido com a Dogecoin (DOGE) no começo do ano, desbancou outros ativos já consolidados no mercado cripto. Em poucos dias, saltou para o Top 10 em capitalização de mercado, alcançando incríveis R$219 BI de valor no dia 1º de novembro de 2021.

Para exemplificar, quem comprou US$ 1.000 de SHIB em 1º de outubro, transformou esse valor em US$ 3.830 na máxima alcançada no dia 7 de outubro. Mas não parou por aí: entre os dias 22 de outubro e 1 de novembro, a Shiba Inu registrou valorização de 154%.

O que explica a valorização do SHIB

Quem se lembra da supervalorização da Dogecoin (DOGE) no primeiro semestre de 2021 pode enxergar uma relação com a disparada da Shiba. Isso porque, assim como essa primeira, não existem motivos claros para uma valorização tão grande.

Alguns apontam que a criação da DEX (exchange descentralizada) e de uma carteira própria da Shiba Inu foi um dos fatores que poderiam explicar sua alta procura. No entanto, diversos analistas apontam que este anúncio foi feito semanas anteriores à valorização, demonstrando que não houve impacto quando se olha o gráfico de preço.

Outros apontam que a listagem de diversas exchanges globais, como na americana Coinbase, pode ter gerado um efeito manada que contribuiu para a valorização. 

Mas o mais aceito entre analistas e jornalistas do mercado cripto é que os fatores que contribuíram para essa supervalorização têm mais a ver com a mesma especulação já vista previamente com a Dogecoin (DOGE). A alta cobertura da mídia sobre o movimento pode ter gerado uma bolha ainda mais especulativa, fortalecendo o efeito manada. Na prática, quanto mais cobertura da mídia, mais visibilidade. E assim, um ciclo virtuoso para alguns, e super arriscado para outros.

Elon Musk e SHIB

Sim, parece que a história se repete (e o alto risco também). Em setembro de 2021, um grupo de usuários, por meio de um serviço que monitora atividades de grandes compradores (conhecidos como baleias), percebeu que alguém havia comprado 6 trilhões de unidades de SHIB, avaliadas em mais de 40 milhões de dólares. 

E quem seria esse investidor misterioso? Uma postagem no Twitter feita por Elon Musk, CEO da Tesla e conhecido manipulador de mercados, fez usuários apostarem que ele mais uma vez estaria por trás da compra. Ele publicou uma imagem do cachorro da raça Shiba Inu, que dá nome à criptomoeda, e foi suficiente para alimentar a teoria. 

Outros fatores

Apesar do esforço de analistas e investidores em entenderem a relação causa e efeito mais provável para a valorização, a verdade é que essa não é uma tarefa tão simples. Isso porque o impacto no preço não veio diretamente nos dias em que essas coisas aconteceram. E ainda existem outros pontos a serem considerados. São eles:

  • Expectativa de maior escassez da moeda com uma liquidação de trilhões da moeda por uma instituição beneficente na Índia, que havia recebido uma doação de Vitalik Buterin, fundador da Ethereum.
  • Anúncio pela equipe da Shiba de um novo mercado de arte NFT no ecossistema da moeda.
  • Adoção em massa por investidores do varejo em todo mundo, já que foi percebida uma grande pulverização em exchanges globais, indicando que baleias podem não ter influenciado tanto assim.

Como comprar Shiba Inu Coin (SHIB)

Corretora

Você pode comprar Shiba Inu Coin (SHIB) no Brasil através de uma corretora como a Coinext, que também é a forma mais prática e segura para comprar e vender. 

Nesta opção, a corretora faz todo o processo de intermediação das transações entre as partes envolvidas, além de disponibilizar sua própria carteira virtual para armazenamento das suas criptomoedas. Também oferece uma interface mais completa, com outras opções de moedas, diferentes tipos de operações e dados importantes que podem ajudar o trader a ter um investimento de sucesso.

A Coinext oferece uma plataforma segura e fácil de utilizar para você negociar as melhores criptomoedas do mercado. Abra sua conta grátis para comprar SHIB hoje mesmo.

Carteira de SHIB

Conforme comentamos acima, caso você adquira suas moedas na Coinext, há a possibilidade de armazená-las diretamente na plataforma da própria corretora. Porém, também existe a possibilidade de guardar as moedas em carteiras, que podem ser digitais ou físicas:

  • online, que armazenam os dados na nuvem;
  • mobile (apps) para celulares;
  • software (desktop) para computadores;
  • hardware (offline) usualmente em dispositivos USB;
  • papel (paper) usualmente impressas em placas de metal.

No geral, a maioria das carteiras (wallets) compatíveis com o protocolo ERC-20 da rede Ethereum já suportam Shiba Inu Coin (SHIB), já que a criptomoeda é baseada nessa rede.

Que tal começar a investir agora?
Abra sua conta Coinext. É rápido e grátis!
Abrir minha conta
Você pode se interessar também...
Feedback