Pirâmide financeira: Como identificar e evitar os esquemas

Você sabe o que são pirâmides financeiras e por que elas são erroneamente relacionadas às criptomoedas? Saiba como identificar um esquema e dicas de segurança!

Por
Equipe Coinext
23/6/2021
Pirâmide financeira: Como identificar e evitar os esquemas

O que é uma pirâmide financeira e como evitar? O Bitcoin e o mercado de criptomoedas trouxeram para o mundo todo um novo ecossistema financeiro que opera sob um paradigma de descentralização, algo completamente diferente do sistema financeiro tradicional centralizado.

Por se tratar de um ecossistema com novas tecnologias e de ativos com alta volatilidade, com a possibilidade de expressivos ganhos, muitos casos envolvendo pirâmides e esquemas apareceram ao longo do tempo, sempre com o foco em tentar explorar a ingenuidade ou falta de conhecimento das pessoas e com promessas de retorno garantido.

Mas fique tranquilo, pois a garantia do bom funcionamento da rede Bitcoin se baseia na matemática, na criptografia e na teoria dos jogos, um porto seguro muito mais confiável do que as das moedas fiduciárias, como real ou dólar, que podem ser falsificadas ou impressas com a simples ordem de um banqueiro central ou político.

Mas afinal o que são essas pirâmides? Confira os tópicos pelos quais passaremos no artigo a seguir:

  • O que é uma pirâmide financeira?
  • Como funciona uma pirâmide financeira?
  • As criptomoedas são esquemas de pirâmides?
  • Os casos mais famosos de pirâmides
  • 5 dicas rápidas para evitar de cair em esquema de pirâmide

O que é uma pirâmide financeira?

Um esquema de pirâmide pode ser definido como a promessa de ganhos financeiros através da aquisição de novas pessoas para continuar sustentando uma determinada atividade. Trata-se de uma operação financeira inviável, fadada em algum momento a desabar.

O objetivo final dessas operações consiste, claro, em enriquecer os seus criadores. Por não se tratar de um simples roubo ou fraude, algumas pessoas até podem conseguir algum retorno financeiro com estes esquemas, isso caso saiam antes da operação desabar. Porém são esquemas extremamente frágeis, perigosos e sem qualquer garantia. As chances de você perder o seu dinheiro são infinitamente maiores que as chances de você conseguir o seu retorno tão desejado.

Este é um dos grandes riscos e o que incentiva muitas pessoas a participar desse tipo de operação. Mesmo sabendo do que se trata, muitos ainda são tentados a participar pretendendo sair antes que a pirâmide se desfaça.

Como os ganhos costumam ser proporcionais ao número de pessoas indicadas para seguir na pirâmide, isso fez com que tais esquemas se tornassem gigantescos, provocando muitas perdas.

A natureza desse golpe torna difícil até mesmo a punição e indenização dos envolvidos, visto que muitas vezes as partes lesadas também prejudicam outras pessoas, incentivando o envolvimento e crescimento da fraude.

Dessa forma, é difícil até mesmo para a justiça determinar quem estava ou não de má fé ao convencer outras pessoas a entrarem nesse tipo de investimento.

Como funciona uma pirâmide financeira?

O foco principal das pirâmides consiste na aquisição de novos clientes que tentarão, em seguida, adquirir novas pessoas para participar da operação.

Normalmente as empresas de pirâmide utilizam algum produto ou serviço como fachada para não levantar suspeitas e para fazer as pessoas acreditarem que o negócio se trata de um empreendimento legítimo.

Nesse sentido, os mais diversos produtos podem ser utilizados, como perfumes, bijouterias, livros, criação de animais e, claro, criptomoedas. A criatividade para se criar novos produtos ou serviços não tem limites, e literalmente qualquer coisa pode ser usada nesse tipo de esquema.

A estratégia mais utilizada é solicitar um investimento inicial para poder participar da operação, na qual os retornos serão proporcionais ao número de pessoas que alguém conseguir convencer a pagar esse valor inicial de entrada.

Em algum momento, os pagamentos para a indicação de novas pessoas não serão mais possíveis de acontecer, pois os fundos que, supostamente, vinham da venda do produto ou serviço de fachada, eram provenientes, na verdade, do pagamento inicial realizado pela entrada dos novos investidores.

Como esse crescimento tende a ser exponencial e é impossível conseguir pessoas infinitamente para dar continuidade à fraude, as últimas pessoas a entrarem, a base da pirâmide, serão as mais prejudicadas.

Esse tipo de golpe se espalha com rapidez, visto que o incentivo das pessoas é conseguir cada vez mais indivíduos para continuar sustentando a operação. Por conta disso, muitos acabam envolvendo familiares e amigos no esquema, provocando não somente problemas financeiros, mas também pessoais. Por isso o potencial de prejuízo das pirâmides é muito grande.

As criptomoedas são esquemas de pirâmides?

O Bitcoin e as criptomoedas são tecnologias disruptivas, que, através da tecnologia blockchain e de uma rede descentralizada de computação, criam confiança entre as partes permitindo a troca de propriedades digitais.

Essa disrupção e a possibilidade de que essas redes descentralizadas algum dia substituam o sistema financeiro legado, permitiram que muitas pessoas enriquecessem rapidamente graças ao crescimento deste setor. Além é claro, do crescimento a partir de estratégias de trade pelas criptomoedas, que como são altamente voláteis, numa valorização ou tendência de alta, podem trazer ganhos expressivos para o investidor.

O Bitcoin foi de longe o melhor ativo da década passada, superando todos os índices de ações, como a Nasdaq e o SP&500.

Dado este cenário, dois fatores influenciaram a existência de muitos golpes envolvendo empresas nesse setor: a falta de conhecimento técnico das pessoas e a possibilidade de ganhos exponenciais.

Vamos a um exemplo trivial de como alguém mal intencionado pode aplicar um golpe tentando explorar a falta de conhecimento de uma pessoa sobre um determinado assunto.

Assim que o Pix foi lançado no Brasil, uma série de golpes se iniciaram. Muitos anúncios diziam, “Clique aqui para criar sua chave PIX”. Ao clicar, era pedido que a pessoa fornecesse o seu número de cartão de crédito.

Mas nunca foi preciso dessa informação para se criar um Pix, e, desse modo, quem não soubesse disso, poderia cair no golpe. Mas este não é nem de longe um problema com a tecnologia do sistema de pagamentos, mas sim da falta de informação das pessoas.

De forma semelhante, muitas empresas envolvidas em esquemas de pirâmide trabalham com objetivo de te convencer a conceder as suas moedas, que estarão sob sua custódia ou de algum terceiro de confiança, como uma corretora, banco ou empresa, para a carteira deles.

Ao perder o controle das suas moedas, enviando os fundos para um ente mal intencionado, muito dificilmente você as verá de volta. Afinal, se as chaves privadas que dão acesso aos fundos nas blockchains não estão sob sua posse, você não tem soberania sobre elas e terá que confiar em alguma empresa ou instituição.

Mas afinal, os ganhos com criptomoedas não dependem de que outras pessoas invistam mais dinheiro?

Essa é na verdade a forma como todos os ativos são precificados em um mercado. Ouro, prata, dólar, commodities, petróleo, ações... Conforme mais pessoas alocam recursos nesses ativos, maior tendem a ser seus retornos.

A grande questão aqui é a utilidade desses ativos para o mundo real e para a vida das pessoas. O Bitcoin e outras criptomoedas tem amplo potencial para transformar diversos setores, já sendo utilizadas como reserva de valor, método de pagamento e para outros fins, movimentando dezenas de bilhões de dólares diariamente.

Não à toa, vimos nos últimos meses diversas grandes empresas e até mesmo governos se posicionando nesse setor. Recentemente, El Salvador se tornou o primeiro país do mundo a ter o Bitcoin como moeda oficial ao lado do dólar americano.

A criptoeconomia de fato tem potencial para revolucionar a humanidade e melhorar a vida de bilhões de pessoas, algo proporcional ao que a internet fez com a comunicação. 

Porém, é de extrema importância que a sociedade e os investidores do setor se organizem para que cada vez menos as pessoas sejam atraídas para esquemas de pirâmides acreditando estarem entrando em investimentos de criptomoedas. 

Podemos alcançar tal realidade divulgando mais e mais o conhecimento sobre este novo ecossistema financeiro que está sendo estruturado, desmistificando alguns fatores sobre o criptomercado e levando informações verdadeiras para as pessoas se educarem a cerca do tema. Além é claro, de procurar uma corretora séria e de confiança, caso você decida ingressar neste mercado. 

Os casos mais famosos de pirâmides

Confira alguns famosos golpes de pirâmide ao longo da história. 

Ponzi

O ítalo-americano Charles Ponzi, em 1920, convenceu milhares de pessoas a comprar cartões postais estrangeiros e trocar por selos americanos por um valor mais caro, prometendo ganhos de 50% em apenas 45 dias.

O esquema desmoronou pois os pagamentos dos investidores vinham de novos membros do negócio e não da venda dos cartões postais.

Boi gordo

Esse é certamente o esquema mais famoso do Brasil. Uma suposta empresa de criação de gado prometia um retorno de 42% em apenas um ano e meio. A proposta tentadora fez mais de 30 mil brasileiros perderem R$3,9 bilhões ainda na década de 90.

Este esquema foi promovido por uma grande emissora de televisão em horário nobre. Por isso desconfie mesmo se o veículo de propaganda te passar confiança. Empresas de mídia têm que arcar com os custos de suas operações, e dificilmente recusam um bom patrocínio.

PlusToken

Este foi o maior esquema de pirâmide envolvendo criptomoedas que se tem registro. Autoridades chinesas confiscaram cerca de US$ 5 bilhões em ativos digitais. 

No total, 194.775 BTC, 833.083 ETH, 1,4 milhões de LTC, 27,6 milhões de EOS, 74.167 DASH, 487 milhões de XRP, 6 bilhões de DOGE, 79.581 BCH e 213.724 USDT foram apreendidos.

E assim como os esquemas acima, os retornos do suposto token em uma plataforma de arbitragem vinham da entrada de novos players.

5 dicas para evitar esquemas de pirâmide

 Ninguém gosta de perder dinheiro, não é mesmo? Sendo assim, vamos a algumas dicas que podem te ajudar a não ser enganado por essas empresas que prometem lucros fáceis.

Desconfie de altos retornos

Desconfie sempre de promessas de altos retornos garantidos, especialmente quando se fala de mercados de renda variável, como o Bitcoin e as criptomoedas. Recentemente, o mercado viu uma queda de mais de 50% na maioria dos ativos digitais.

Afinal, como uma empresa poderia viabilizar uma operação altamente lucrativa com ganhos fixos garantidos em um mercado tão volátil? Isso é praticamente impossível. Vale lembrar que nem mesmo os maiores analistas de criptomoedas do mundo conseguem prever com exatidão estes movimentos de mercado.

Contudo, altos retornos podem ser possíveis em determinados setores, mas é sempre necessário entender o modelo de negócio em que se está investindo para compreender se a operação é de fato viável.

Procure empresas estabelecidas e de confiança

Ao entrar no mercado de criptomoedas você possui a possibilidade de ser soberano no controle dos seus ativos e realizar a sua própria custódia, mantendo o controle das suas chaves privadas. Ou também é possível obter exposição a este mercado realizando a compra de cotas ou tokens de criptomoedas em fundos de empresas. 

Apesar de retirar um pouco da soberania do investimento, não há problema em confiar em uma empresa para isso, pois nem todos querem obter o conhecimento técnico para realizar uma boa custódia desses ativos e a maioria dos bancos e instituições ainda são centralizados, e ainda assim, bilhões de pessoas confiam seu dinheiro a eles.

Também é possível realizar o investimento em empresas que trabalham no setor, seja comprando ações de uma mineradora, ou por uma corretora como a Coinext.

Independente da escolha, procure sempre por empresas estabelecidas com experiência comprovada de mercado.

Empresas financeiras são instituições em que haver confiança entre as partes é algo absolutamente necessário. Por conta disso, a maioria dos investidores buscam por empresas com tradição no mercado em que atuam.

Procure por empresas reguladas

Empresas mal intencionadas estão sempre na mira das agências reguladoras. Aqui no Brasil, a instituição responsável por fiscalizar as instituições financeiras é a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Antes de aplicar dinheiro em uma determinada empresa, confira se existe algum processo ou conflito em andamento com a agência. 

Mas ainda assim, estes esquemas ainda podem passar despercebidos por estas agências. 

O maior esquema de fraude da história, promovido pelo americano Bernie Madoff, causou um prejuízo de US$ 64 bilhões. O esquema perdurou por anos sem que a SEC (Securities Exchange Commission), a agência regulamentadora americana, sequer desconfiasse de fraude.

Após o ocorrido, as políticas da agência foram alteradas para que casos como esse não ocorressem novamente.

Não seja ganancioso

Este é outro conselho repetido à exaustão por todos os grandes investidores. A vontade de ficar rico rapidamente pode te atrapalhar na sua jornada financeira. Jamais se exponha ao risco da ruína.

No longo prazo, ter consistência é o que vai te ajudar de verdade. Por isso, jamais coloque todos os seus ovos em uma mesma sexta, busque exposição a diferentes ativos e empresas que possam te trazer retornos com maior segurança. É o que chamamos de diversificação de investimentos, uma estratégia fundamental para que seu risco não fique concentrado em apenas um ativo.

Nesse sentido, mesmo que você tome todos os cuidados e ainda assim caia em uma fraude, você não perderá todas as suas economias, visto que seu portfólio estará alocado em diferentes setores e empresas.

Não invista no que você não entende

Talvez o melhor investimento que você possa fazer seja aplicar em conhecimento. Este é um mantra repetido por praticamente todos os investidores de sucesso. Nenhum deles chegou ao topo sem conhecer muito bem o setor em que atuam.

Não é necessário conhecer todos os mercados e tipos de investimento, focar em um setor já é um ótimo começo. Isto nem sempre pode ser algo fácil, por isso procure sempre por fontes confiáveis e primárias para iniciar seus estudos.

Aqui na Coinext trazemos sempre conteúdos para ajudar a educar esse mercado em expansão que tem o real potencial de revolucionar não somente o dinheiro e as finanças, mas todo o mundo.

Mais nesta categoria
CONTEÚDO PRODUZIDO POR
Essas análises são de responsabilidade da Mercurius e não são uma recomendação de investimento.
Assine nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo
Ao assinar a newsletter, declaro que conheço a Política de Privacidade e autorizo a utilização das minhas informações pela Coinext.
Obrigado! Sua assinatura foi recebida com sucesso!
Oops! Revise seu email e insira um válido.
Novas moedas na Coinext.
Você até dia 4 de abril.
Serão 5 novas criptomoedas listadas a partir de abril e você pode escolher suas preferidas entre 8 opções.
Vote agora
Feedback