O que é The Graph (GRT)?

The Graph é uma das criptomoedas mais populares da Web 3.0. Entenda os detalhes sobre essa cripto, bem como suas características e informações necessárias para saber se vale a pena investir em GRT.

The Graph
The Graph (GRT)
R$ 00,00
-
GRT/BRL

The Graph (GRT) é uma das criptomoedas mais populares da Web 3.0. Também chamada de “Internet do futuro”, a Web 3.0 é uma nova geração da rede mundial que pretende dar ao usuário mais controle e privacidade sobre seus próprios dados e conteúdo digital.

Assim, a ideia é promover uma web descentralizada, que seja mais transparente em relação ao consumidor, incluindo a forma como é feito o armazenamento de dados e a indexação de informação.

E é justamente a partir dessa necessidade de existir indexadores descentralizados e mais acessíveis para os usuários que surgiu o projeto The Graph, cuja economia gira em torno do token GRT.

Continue lendo para entender melhor o que é The Graph, um dos projetos mais relevantes desse novo ecossistema, se vale a pena comprar tokens GRT e como começar!

O que é The Graph?

The Graph, o “Google das criptomoedas”, é um protocolo descentralizado para indexação e consulta de dados contidos em Blockchains, com o objetivo de torná-los mais facilmente acessíveis para os usuários, principalmente desenvolvedores de DApps (Aplicativos Descentralizados). 

Então, assim como o Google indexa a internet, o The Graph indexa os dados de Blockchains, porém de forma descentralizada.

Um indexador é um mecanismo que coleta, analisa, armazena e organiza dados para facilitar a pesquisa de informações por parte dos usuários. De maneira simplificada, o que o The Graph faz é coletar os dados de Blockchains – que apesar de públicos, tendem a ser muito complexos e difíceis de acessar – e organizá-los de forma descentralizada e de fácil leitura para o usuário.

A Ethereum é hoje a principal rede suportada pelo The Graph. Além dela, no momento de produção deste artigo, existem outras 13 redes em versão beta, passando pela fase de testes, entre elas Polygon (MATIC) e Fantom (FTM).

A relevância da proposta do The Graph pode ser percebida pelo fato de que a linguagem de programação da Ethereum pode ser considerada complexa, o que torna pode tornar difícil e lento o acesso a qualquer informação na rede além de dados básicos. 

Logo, ao organizar e disponibilizar esses dados de maneira mais acessível, o The Graph facilita e contribui para o trabalho de desenvolvedores que precisam dos dados de Blockchains para otimizar seus aplicativos.

Com isso, o The Graph se mostra muito útil para o desenvolvimento de projetos envolvendo  Finanças Descentralizadas (DeFi), NFTs e Metaverso. Um exemplo disso é que aplicações como Uniswap (UNI) e Aave (AAVE) já fazem uso do protocolo.

O projeto foi lançado em 2018 e a equipe inicial é composta por Yaniv Tal (líder do projeto), Brandon Ramirez (líder de pesquisa) e Jannis Pohlmann (líder de tecnologia).

Abra sua conta e invista nas principais criptos do mercado.

O que é GRT ou The Graph Coin?

O GRT é o token nativo de The Graph, usado para manter a segurança econômica da rede, cobrança de taxas e recompensas. É um token padrão ERC-20 executado na Blockchain da Ethereum.

Esse token é fundamental para o funcionamento do The Graph, pois é por meio dele que ocorre a distribuição de recursos no sistema. Dentro da rede, o GRT é usado para cobrar as taxas de consulta, recompensas de indexação, sinalização dos curadores, delegação e staking dos indexadores. Você entenderá melhor o que é cada uma dessas funções a seguir.

Como The Graph funciona?

Os dados indexados pelo The Graph são agrupados em APIs abertas, denominadas subgráficos. Qualquer um pode acessar esses dados, mediante uma taxa de consulta.

Para entender melhor como é o funcionamento do The Graph, é preciso conhecer os principais componentes da rede, que operam juntos em uma economia descentralizada:

  • Indexadores: são os nós componentes da rede The Graph. Eles indexam (guardam e organizam) os dados e também processam e atendem as consultas, ganhando GRT como recompensa de indexação e taxas de consulta.
  • Delegadores: protegem a rede delegando GRT para os indexadores. Eles são detentores do token que o delegam para os indexadores que eles acreditam que irão oferecer o melhor serviço. Em troca disso, ganham uma porcentagem da taxa obtida pelos indexadores aos quais delegaram seus tokens.
  • Curadores: mantêm a rede organizada sinalizando os subgráficos que podem vir a se tornar demandados e mais procurados, e que por isso devem ser indexados com prioridade. Recebem uma porcentagem das taxas de consulta aos subgráficos que sinalizam.

Desse modo, todos esses componentes são remunerados de acordo com os serviços prestados. Os indexadores podem ainda ser recompensados por meio de staking, uma forma de rendimento passivo ao manter tokens GRT por um determinado tempo. 

Qualquer pessoa pode atuar em alguma dessas funções. No entanto, atualmente, para ser um indexador é necessário possuir o mínimo de 100.000 tokens GRT e os curadores também pagam algumas taxas para participar do processo.

Já os consumidores que pretendem pesquisar pelo The Graph precisam pagar uma taxa de consulta, por meio do token GRT, para realizar a busca. Em seguida, os dados consultados podem ser transformados e compartilhados entre os DApps.

Aproveite as oportunidades do mercado cripto. Comece agora pela Coinext.

Vale a pena investir em The Graph (GRT)?

Com o conceito e funcionamento do protocolo já esclarecidos, é o momento de saber se, afinal, vale a pena comprar tokens GRT.

Antes disso, é preciso frisar que não existe uma resposta definitiva para essa pergunta. Isso porque essa é uma decisão pessoal, que deve ser tomada a partir da análise das principais características do criptoativo e dos objetivos como investidor. 

Para facilitar sua pesquisa, ressaltamos a seguir alguns pontos positivos que o GRT apresenta e riscos que devem ser considerados.

  • Expansão: Como mencionamos anteriormente, o protocolo The Graph é muito útil e relevante para projetos envolvendo DeFi, NFTs, Metaverso, e a própria Web 3.0, um ecossistema que tem tudo para expandir cada vez mais.
  • Valorização: Como toda a economia do The Graph depende do token GRT, é esperado que sua adoção aumente à medida que o uso da rede também cresça, podendo levar a uma possível valorização. Então, vale a pena ficar de olho!
  • Diversificação de investimentos: Além disso, é sempre importante lembrar a importância da diversificação da sua carteira, minimizando os riscos de depositar todos os investimentos em um único ativo que pode acabar não indo muito bem. Nesse sentido, o GRT aparece como mais uma possibilidade de diversificação.

Com relação aos riscos, é necessário lembrar que o GRT, assim como as demais criptomoedas, estão sujeitas a sofrer muita volatilidade. Ou seja, os preços podem variar consideravelmente em um curto espaço de tempo, seja em queda ou subida.

Por isso, ao investir em um projeto como esse, sempre estude e faça análises técnicas antes de tomar qualquer decisão. O The Graph é um projeto relativamente recente, mas em constante busca por melhorias. Procure acompanhar também o que tem sido feito sobre isso para se informar melhor a respeito.

Abra sua conta e aproveite as vantagens de ser cliente Coinext.

Cotação de GRT hoje

Na Coinext, a negociação de The Graph (GRT) é feita em Reais (BRL) e acompanha a oferta e demanda do mercado.

O GRT encerrou 2021 com preço na casa dos R$3,00 e iniciou 2022 sendo negociado a aproximadamente R$2,00 no final de janeiro, seguindo tendência do mercado de correção.

Por conta da possibilidade de variação dos preços dos criptoativos, destacamos a importância de frequentemente acompanhar o mercado e entender a cotação das moedas. Aqui na Coinext, disponibilizamos esses números em tempo real.

Gráfico de GRT

Através do TradingView, disponibilizamos ferramentas avançadas de análise técnica e você consegue utilizar estratégias como Bollinger, Médias Móveis, MACD, Estocástico, RSI, IFR, entre outras.

Acesse sua conta na Coinext para ver o gráfico completo de The Graph (GRP) e as demais principais criptomoedas do mercado.

Abra sua conta e aproveite as vantagens de ser cliente Coinext.

Como comprar GRT?

A forma mais segura de comprar tokens GRT é por meio de uma corretora de criptomoedas, como a Coinext. A seguir, apresentamos o passo a passo para começar a comprar com a gente:

Primeiro passo: abra sua conta na Coinext, de forma gratuita, rápida, simples e segura. Preencha e valide seus dados em poucos cliques.

Segundo passo: ative sua conta. Para isso, realize um depósito de sua conta em um banco para que você tenha saldo para comprar criptos em sua conta Coinext. Esse processo pode ser feito rapidamente e com segurança via PIX ou TED.

Terceiro passo: aprenda para investir. Antes de comprar criptos, é preciso saber bem o que está fazendo. Portanto, busque informações e estude para investir com segurança e consciência. A Coinext disponibiliza conteúdos no Blog, Área de Educação e Youtube que podem te ajudar a tirar suas dúvidas.

Quarto passo: comprar e vender as moedas. A lógica é a mesma aplicada a qualquer investimento de renda variável: comprar por um preço baixo para vender por um preço mais alto. Escolha o ativo que deseja, nesse caso The Graph (GRP), e realize a operação desejada.

Com as informações que deixamos aqui, certamente agora você entende o que é The Graph (GRT) e tem dados para saber se vale a pena contar com essa cripto em sua carteira ou não. Conte sempre com a Coinext para isso, abra sua conta grátis e invista em criptomoedas com mais segurança, facilidade e praticidade.