Tudo sobre SushiSwap

SUSHI é o token nativo da exchange descentralizada (DEX) SushiSwap. As principais utilidades do token SUSHI são voltadas para a  geração de  liquidez nos pools dessa plataforma, para viabilizar os trades sem a necessidade de parear usuários. Com seu sucesso e crescimento, o SUSHI passou a ser negociado nas principais exchanges do mundo.

Bitcoin (BTC)
Ethereum (ETH)
Litecoin (LTC)
Ripple (XRP)
Bitcoin Cash (BCH)
Tether Dólar (USDT)
Cardano (ADA)
Chainlink (LINK)
Stellar (XLM)
Dogecoin (DOGE)
EOS
Axie Infinity (AXS)
Chiliz (CHZ)
SushiSwap (SUSHI)
USD Coin (USDC)

O que é SushiSwap (SUSHI)

Redação Coinext

SUSHI é o token nativo da exchange descentralizada (DEX) SushiSwap, que por sua vez é um fork da DEX Uniswap. A DEX funciona por meio da rede blockchain da Ethereum, portanto os seus tokens são no padrão da rede ERC-20.

O SUSHI é primeiramente um token DeFi, já que ele é nativo de uma rede DEX, a SushiSwap,  e é utilizado, sobretudo, para viabilizar o modelo de mercado automatizado padrão destas exchanges descentralizadas.  Além disso, ele é um token utilitário, cujas principais utilidades são voltadas para a governança e para o fornecimento de liquidez para os usuários da plataforma. Até setembro de 2021, a capitalização de mercado do SUSHI estava em torno de US$ 2.145.827.148 e o token movimentou todo o sistema DeFi deixando muitos investidores curiosos para diversificar sua carteira com ele.

Para compreendermos o token SUSHI, é preciso compreendermos alguns outros conceitos que estão envoltos no funcionamento deste criptoativo. Primeiramente, é preciso entender que ele, apesar de convencionalmente ser tratado com uma criptomoeda, é na verdade um token Defi  de utilidade, uma outra classe de criptoativos. Dentro desta classificação, ele ainda é sub categorizado como um token de governança. Mas vamos por partes!

Resumidamente, um token é um ativo digital que representa uma propriedade, estado, permissão ou posse de algum serviço ou produto. E os tokens de governança são aqueles voltados a dar poder de voto e participação ativa nas decisões do protocolo em questão, algo que vem ganhando muita popularidade no mundo cripto. Na teoria, é como se um token equivalesse a um voto, portanto quanto mais tokens você tiver, mais poder seu voto  tem. E essa é uma das  dinâmicas que  gera uma forte demanda pela compra destes tokens, mantendo o sistema todo funcionando. 

A SushiSwap é uma DEX que realiza os trades e as trocas de criptomoedas pela criação de um mercado automatizado, ou Automated Market Maker, cuja sigla é AMM. Este mercado automatizado é o que consegue viabilizar os trades nas DEX. Em uma corretora centralizada, como a Coinext, para que você compre uma criptomoeda, é preciso que exista um usuário querendo vender as dele, para fazer a correspondência entre as partes, seguindo a lógica do livro de ofertas. 

Já nas DEX, a compra e venda de criptoativos é feita por meio de um pool de liquidez, cujo conceito irei explicar melhor adiante, mas que, resumidamente, funciona como um grande fundo de criptoativos, nos quais as pessoas depositam pares de moedas, na proporção de 50:50, para garantir essa liquidez e a possibilidade do trade. Como uma forma de recompensar estes usuários que deixam seus criptoativos bloqueados no pool, e até mesmo de incentivá-los a continuarem deixando, eles recebem uma porcentagem dos trades que são realizados na plataforma e que utilizaram aquele pool, além de receberem também os tokens SUSHI.

Como surgiu o SushiSwap (SUSHI)

Conforme explicamos acima, o SushiSwap nasceu por meio de um fork da DEX UniSwap, em agosto de 2020. O SUSHI, seu token de governança, foi inicialmente lançado por meio de “airdrops”, que é basicamente uma distribuição gratuita do token.

Porém, o SushiSwap foi fundado por um desenvolvedor anônimo, cujo pseudônimo é Chef Nomi. Não sabemos quase nada sobre o Chef Nomi, algo que é muito comum no mercado cripto, no qual os desenvolvedores dos projetos em grande parte preferem continuar no anonimato.

Além do Chef Nomi, o projeto contou com mais dois co-fundadores, também anônimos, chamados de sushiswap e 0xMaki, que ficaram conhecidos apenas por Maki, futuramente. Eles são responsáveis por lidar com o código-fonte do protocolo, desenvolvimento de novos produtos e as operações de negócios de toda a plataforma SushiSwap.

Porém, recentemente a propriedade do SushiSwap foi transferiada para Sam Bankman-Fried, que é CEO da exchange de derivativos chamada FTX, além da fintech Alameda Research. Bankman-Fried ficou muito conhecido no universo cripto como um dos melhores traders do mundo, tendo inclusive, aparições frequentes na mídia.

Algumas das mudanças mais importantes implementadas por Bankman-Fried foi a transferência do controle do projeto para a comunidade, principalmente por meio de votações de governança.


Sam Bankman-Fired, CEO da FTX, empresa proprietária da DEX SushiSwap. Imagem: Bloomberg


Para que serve o token SushiSwap

As principais utilidades do token SUSHI são voltadas para a  geração de  liquidez nos pools da plataforma, para viabilizar os trades sem a necessidade de parear usuários. Uma vez que um usuário faz um depósito de criptoativos no pool, ele se torna um Provedor de Liquidez, ou LP. E então, como uma recompensa por deixar seus criptoativos “bloqueados” no pool, eles recebem os tokens SUSHI, além de uma participação percentual nos trades que acontecem utilizando o pool do LP. 

Além disso, como foi mencionado, ele é um token de governança, ou seja, aqueles que os detêm também possuem poder de voto e participação nas  decisões sobre o protocolo. 

Um grande diferencial que podemos citar do protocolo SushiSwap em relação aos Uniswap é o fato de que, neste último, os Provedores de Liquidez (LP), ou seja, os usuários que fizeram depósitos de criptoativos em algum pool da plataforma, somente ganham participação nas taxas de transação da pool enquanto estão fornecendo liquidez, enquanto estão com seus criptoativos bloqueados no pool.

No SushiSwap, os LPs conseguem ganhar participação nas taxas de transação do pool mesmo se eles não fornecem mais a liquidez, justamente por meio dos tokens SUSHI, que, se mantidos, permitirão que os LPs continuem tendo uma participação nas taxas de trade.

Em resumo, os LPs além de ganharem essa participação nas taxas de transação que ocorreram no pool, podem também ganhar rentabilidade  a longo prazo, mantendo seus tokens SUSHI. Tudo isso contribui para que o token tenha alta procura e se mantenha valorizado no mercado.

Observe na imagem abaixo como é feito o depósito de pares de tokens para se tornar um provedor de liquidez da SushiSwap. Neste caso, utilizamos um exemplo de depósito em DOGE e ETH. Como a proporção precisa ser de 50:50, você só precisa preencher a quantidade de tokens de uma das criptomoedas que quer depositar, automaticamente a plataforma preenche a quantidade da outra criptomoeda, considerando o valor de mercado das duas e qual seria a quantidade proporcional.

Repare que a plataforma já informa também qual o percentual de liquidez que o seu depósito fornece ao pool no campo de Share of Pool. A sua recompensa com as taxas de trade será em cima deste valor.

Demonstração de depósito de criptoativos na SushiSwap. l
Demonstração de como é feito o depósito de pares de criptoativos na SushiSwap em valores equivalentes de DOGECOIN e ETH.  (Imagem: site oficial da SushiSwap)

Como funciona o SushiSwap

Como você já pode ter percebido, o token SUSHI possui protocolo e modelo de funcionamento complexos, que requer o entendimento de uma série de outros conceitos também complexos, inaugurados pelo setor de Finanças Descentralizadas, as DeFi.

Agora, vamos entender como funciona na prática um pool de liquidez, uma das principais funções do token SUSHI. 

Um pool de liquidez é uma ferramenta importantíssima para garantir o bom funcionamento das DeFi, ou mesmo de qualquer mercado. O pool vai permitir que os usuários da plataforma em questão possam depositar os seus tokens e deixá-los bloqueados em troca de alguma recompensa. Estes tokens que foram bloqueados, são justamente o que garante que o mercado conseguirá cobrir a demanda, ou seja, que o mercado terá uma oferta suficiente para suprir as necessidades dos usuários, e assim as negociações conseguem ocorrer tranquilamente.

Então, podemos compreender os pools de liquidez como uma forma de garantir e aumentar a liquidez das negociações, sobretudo em exchanges descentralizadas, que não funcionam com um livro de ofertas. Quanto mais pools uma plataforma possuir, maior será a facilidade para negociar os tokens que estão listados nela.

Cada pool é conectado a um contrato inteligente e é por meio dele que os usuários irão depositar os tokens e se tornarão provedores de liquidez, ou LPs. Então, de maneira resumida, o processo acontece da seguinte forma:

  1. Primeiramente o LP escolhe qual pool ele quer participar;
  2. Em seguida ele envia os seus tokens para o endereço do contrato inteligente daquela pool escolhida;
  3. Depois, ele recebe os tokens da pool que vão servir como uma espécie de comprovante do staking e como recompensa. Neste caso, eles recebem o token SUSHI;
  4. Feito isso, os LPs receberão também a remuneração que vem das taxas de transação. No caso do SUSHI, essa remuneração está em torno de 0,25%. 

Que tal um exemplo prático para ficar ainda mais claro? 

Vamos supor que você quer ser um provedor de liquidez da SUSHI, então depois de escolher qual pool você gostaria de participar, você deve enviar seus tokens. O envio é sempre em pares de tokens, na proporção de 50:50. Então, se você quiser enviar por exemplo ADA e ETH, você precisa depositar R$50,00 de ADA e R$50,00 de ETH. Neste exemplo, você contribui com R$100 de liquidez, portanto, sua remuneração das taxas de trade será proporcional à sua contribuição. 

E a cada depósito feito, o LP também é recompensado com o token da pool, que é o SUSHI. Este token é o que vai garantir a participação de governança e na remuneração das taxas de transação. Então, se os R$100 que você depositou neste pool corresponde a 5% da liquidez total deste pool, e as taxas de transação do pool para o par que você depositou, ADA/ETH são de 0,3%, você teria direito a 5% de 0,3% do valor total levantado com as taxas de transação daquele pool.

Por essa razão os pools de liquidez são tão importantes, sobretudo num mercado tão novo quanto as DeFi. Eles são uma maneira de trazer maior segurança para a plataforma e também de evitar manipulação nos preços dos tokens por parte dos grandes investidores, chamados de baleias. Esses investidores concentram enormes quantidade de criptoativos que, caso coloquem a venda de maneira súbita e concentrada, podem facilmente causar uma alteração brusca no preço dos tokens.

Além dos pools de liquidez, o protocolo do token SUSHI tem uma outra função importante, chamada de yield farming, ou simplesmente farming, também comum em outros protocolos descentralizados. Em uma tradução livre para o português, yield farming significa produção agrícola, mas também é conhecido como mineração de liquidez. Ele pode ser compreendido como uma maneira do investidor angariar mais tokens descentralizados sem a necessidade de fazer trade ou de minerar.

Resumidamente, os farmings funcionam de maneira similar a investimentos que rendem juros, já que produz uma espécie de renda passiva para os hodlers de tokens, ou seja, aqueles que estão com os tokens em carteira, sem vender. Nos farmings, os tokens bloqueados em staking rendem uma espécie de juros, como uma recompensa por manter os tokens na plataforma, bloqueados. O objetivo é o mesmo: atrair liquidez para a plataforma e aumentar a demanda pelo token de governança. 

Fazendo uma analogia com o sistema tradicional de finanças fica fácil entender o farming. Quando vamos a um banco pegar um empréstimo, ao devolvermos este empréstimo, o banco nos cobra juros. No farming, os LPs que estão dispostos a emprestarem seus criptoativos para os pools de liquidez, recebem as participações nas taxas de transação, como se fosse um juros recompensado pelo empréstimo deles.

Observe na figura abaixo, retirada do site da SushiSwap, as principais opções de pools e farmings para os usuários escolherem. Na coluna escrito TVL, está o Valor Total Bloqueado de cada pool. Na coluna Rewards, está a recompensa que cada provedor de liquidez (LP) recebe em tokens SUSHI por dia. Por fim, na última coluna está o APR que seria a recompensa em formato de "juros" dos farmings respectivos de cada pool. Como podemos ver, a recompensa é passada em um ganho percentual anual.

Farmings e pools de liquidez da SsuhiSwap
Demonstração de pools e farmings da SushiSwap. (Imagem: site oficial da SushiSwap);


Principais diferenças do SUSHI para o Bitcoin

Com certeza no decorrer do texto você já conseguiu perceber algumas diferenças marcantes entre o SUSHI e o BTC, mas vamos lá!

Classe de ativos

Como bem sabemos, o Bitcoin foi a primeira criptomoeda a ser criada. Ela tem sua própria blockchain, que funciona como um livro contábil que é aberto ao público, ou seja, todas as informações registradas na blockchain podem ser consultadas por quem queira. Já o SUSHI se encaixa na categoria de um token utilitário, especificando ainda mais, um token de governança. 

O SUSHI é um token no padrão ERC-20 e não possui sua própria blockchain, mas sim depende diretamente da rede blockchain da Ethereum para existir. Ele é classificado como um token DeFi, uma vez que ele é um token nativo da rede DEX SushiSwap.

Objetivo principal do protocolo

O Bitcoin foi criado pelo desenvolvedor de pseudônimo de Satoshi Nakamoto, que deixou bem claro em seu white paper, documento oficial que explica toda a proposta da moeda, que o principal objetivo era criar uma moeda digital criptográfica, que pudesse realizar transações e transferências de valores altos de maneira segura e sem a necessidade de intermediários, como bancos e demais instituições financeiras. Ele foi criado para trazer maior autonomia e independência para as finanças das pessoas e diminuir nossa dependência de serviços bancários e operações centralizadas.

O SUSHI surgiu recentemente e já quando o mercado e as tecnologias cripto estão um pouco mais amadurecidos. Como vimos nos tópicos acima, o SUSHI é um token nativo de uma DEX chamada SushiSwap, que por sua vez surgiu quando a comunidade percebeu a necessidade de melhorar o serviço e os processos de uma outra DEX, a UniSwap. Então, o principal objetivo do SUSHI é ser o token que viabiliza essas melhorias e atualizações no protocolo da SushiSwap.

Mineração de BTC X Mineração de Liquidez

O Bitcoin utiliza o protocolo de consenso Proof of Work (PoW) ou Prova de Trabalho. Por meio deste protocolo é que são inseridas as novas unidades de moedas BTC no mercado, como uma consequência do processo de mineração da cripto. A mineração pode ser compreendida como o processo que valida as transações que ocorrem dentro da blockchain do Bitcoin. Essa validação é nada mais do que a solução da função hash, que envolve cálculos matemáticos complexos que só podem ser resolvidos por meio de computadores super potentes. 

As pessoas que detêm esses computadores e os emprestam para a realização da validação das transações são recompensadas por este trabalho, em unidades da moeda BTC. E é assim que são inseridas novas moedas no mercado.

Já o SUSHI tem um funcionamento totalmente diferente da criptomoeda. Apesar do seu processo também ser chamado de mineração de liquidez, são coisas bem diferentes. O que acontece no SUSHI é o empréstimo de outros criptoativos, para farmings ou pools de liquidez, para manter o sistema funcionando e os trades ocorrendo sem a necessidade de parear usuários compradores e vendedores. Os tokens de SUSHI são produzidos à medida que mais usuários provedores de liquidez, os LPs, vão depositando e bloqueando seus pares de criptoativos na plataforma. 

Vantagens

Existem diversas vantagens para quem quer investir no SUSHI. O token de governança dá direitos a decisões importantes sobre o protocolo, como o voto em propostas de melhorias, atualizações da interface de usuário da plataforma, definição de taxas de produção, decisões sobre os fundos de desenvolvimento e por aí vai.  

Além da governança, conforme explicamos no artigo, o SUSHI dá diversas possibilidades de rentabilidade aos seus detentores, como pelos pools de liquidez ou pelos farmings do token, no qual os LPs recebem uma espécie de juros pelos empréstimos dos criptoativos depositados em pools.

Existe uma equipe sólida e altamente capaz que cuida para que existam novas possibilidades para o token, além de contarem com a liderança de Sam Bankman Fried, um dos principais nomes do mercado de criptomoedas e também uma das pessoas mais ricas do meio cripto.

Tal equipe garante  um crescimento constante no preço do token  e retorno para os stakers. Isso é considerado uma vantagem competitiva pois é muito comum no meio das DeFi o anonimato para o desenvolvimento de projetos. Uma vez que os investidores do token reconhecem que existe um nome e uma pessoa real, com interesses reais de alavancar o criptoativo, é passado muito mais segurança e confiabilidade à comunidade e aos investidores.

Um outro ponto a ser destacado é a própria dinâmica de funcionamento do token. O sistema dá conta de manter equilibrado a sua oferta e a demanda, uma vez que para realizar o pagamento aos LPs, o sistema automaticamente faz também a compra do token SUSHI, o que gera uma pressão compradora, que consegue segurar os preços.

E por fim, o SUSHI está no meio de um sistema que tem se demonstrado ser muito promissor e só cresce mais a cada mês, as DeFi. De acordo com uma publicação da Valor Investe, o valor total bloqueado das DeFi passou de 652 milhões para 14,7 bilhões de dólares somente em 2020. De acordo com uma outra  reportagem do portal Seu Dinheiro, as criptomoedas do sistema DeFi entregaram em 2021, até então, uma valorização de cerca  10.822%, com potencial para ir além. Ou seja, o setor com certeza está em plena expansão e o mercado está adquirindo maturidade para continuar crescendo em níveis altos porém saudáveis.

Como minerar SUSHI

O token SUSHI é distribuído por meio de um tipo de mineração chamado de mineração de liquidez. Conforme vimos ao longo do texto, o SUSHI é distribuído para os fornecedores de liquidez, os LPs, quando estes depositam seus criptoativos para pools específicos por meio de contratos inteligentes de staking da SushiSwap.

A distribuição dos tokens SUSHI foi de 1.000 tokens por bloco, para os primeiros 100.000 blocos da rede Ethereum, que aconteceu nas duas primeiras semanas de funcionamento do ativo. Depois disso,  as recompensas foram reduzidas para 100 SUSHI por bloco.

Além disso, após estes 100.000 primeiros blocos, a SushiSwap migrou todos os tokens de liquidez que estavam em staking na Uniswap para os contratos da SushiSwap, algo que foi chamado pelo mercado cripto de mineração vampírica, pois é como se a SushiSwap estivesse “sugando” a liquidez da UniSwap. Feita essa migração dos tokens, a liquidez convertida é que foi utilizada para alimentar os primeiros conjuntos de pools de liquidez da plataforma, permitindo colocar o protocolo em execução. 

A atual recompensa na SushiSwap funciona na proporção de que, dos 0,3% que os LPs recebem em cima das taxas de transação, 0,25% são efetivamente das taxas de transação enquanto os 0,05% restantes são convertidos em tokens SUSHI, que aí sim são distribuídos aos hodlers de SUSHI.

Como comprar SushiSwap (SUSHI)

Corretora

A primeira forma de investir em SUSHI é também o meio mais seguro e confiável, através de uma corretora como a Coinext.

Nesta opção, a corretora faz todo o processo de intermediação das transações entre as partes envolvidas, além de disponibilizar sua própria carteira virtual para armazenamento das suas criptomoedas. Também oferece uma interface mais completa, com outras opções de moedas, diferentes tipos de operações e dados  importantes que podem ajudar o trader a ter um investimento de sucesso.

A Coinext oferece uma plataforma segura e fácil de utilizar para você negociar as melhores criptomoedas do mercado.

Abra sua conta grátis para comprar tokens SUSHI hoje mesmo.

Distribuição de tokens

A segunda forma é por meio da distribuição dos tokens pelos sistemas de pools de liquidação ou  yield farmings, nos quais você precisa depositar e bloquear seus criptoativos dentro da DEX que originou o token.  Similar ao que ocorre no processo de mineração das demais criptos, porém de forma um pouco mais complexa, já que envolve o acesso à uma outra plataforma e a necessidade de você já possuir algum outro par de criptoativos para depositar nos pools ou farmings.

P2P (peer-to-peer)

A terceira forma é por meio do processo P2P, peer-to-peer, que é basicamente uma forma realizar transações diretamente com a outra parte envolvida, não se faz o uso de um intermediário, como uma corretora. O risco deste tipo de transação é que não há garantias de que você receberá seus tokens ou seu dinheiro, uma vez que a relação entre as partes é puramente na base da confiança.

Onde guardar

Conforme dito acima, caso você adquira suas moedas em uma corretora, há a possibilidade de armazená-las diretamente no site da corretora. Porém também existe a possibilidade de guardar as moedas em carteiras, que podem ser digitais ou físicas.

Existem diferentes formatos de carteiras:

  • online, que armazenam os dados na nuvem;
  • mobile (apps) para celulares;
  • software (desktop) para computadores;
  • hardware (offline) usualmente em dispositivos USB;
  • papel (paper) usualmente impressas em placas de metal.

Estas carteiras podem ser classificadas em quente (hot), quando estão conectadas à internet e dependem desta conexão, e frias (cold), carteiras desconectadas da rede.

As principais carteiras virtuais que aceitam o token SUSHI são também as carteiras que aceitam os tokens da rede Ethereum, no padrão ERC-20. 

  • Ledger Nano S
  • Ledger Nano X
  • TrustWallet
  • Meta Mask
  • Mist
  • Exodus

Quanto vale um SUSHI?

De acordo com dados do portal Coingeck, o SUSHI tem, até o momento em que escrevo esse artigo, em setembro de 2021, US$ 2.548.104.338 em capitalização de mercado e está sendo negociado a US$ 13,23. Ainda de acordo com o portal, o token tem fornecimento de 250.000.000, dos quais 192.789.255 já estão em circulação.

Preços históricos

O token iniciou sendo cotado a US$2,28, lá em agosto de 2020, quando ele surgiu. Em seguida, já em setembro, o token ganhou uma valorização expressiva e bem surpresa, e passou a ser cotado, por um período breve, a US$8,84. Isso foi corrigido logo depois e o token voltou aos padrões normais. Até dezembro de 2020 o SUSHI variou pouco e permaneceu na faixa dos US $2,88. 

2021 foi um ano bem favorável ao token, pois ele fechou janeiro valendo US$10,27 e continuou numa tendência de alta, no qual atingiu seu máximo valor histórico, no dia 13 de março aos US$23,05. Em seguida, passou pelo pullback e chegou a US$10,65, no mês de abril. Pouco depois ele conseguiu se recuperar e voltou para a casa dos 20 dólares, quando em maio atingiu US$21,44. 

Após isso, acompanhando o pullback do Bitcoin e das principais altcoins do mercado, o SUSHI passou por uma forte correção também, nos meses de junho e julho, nos quais oscilou entre os US$ 6 e US$8. Já no mês de agosto de 2021, voltou a seguir sua tendência de alta, no qual chegou a ser cotado a US$14,52, o maior valor do mês. Depois disso, recuou timidamente e está mais estável em torno de US$12 e US$13. 

Observe no gráfico abaixo, também retirado do portal CoinGecko, como se deu a movimentação de preços do token desde a sua origem, até o mês de setembro de 2021.



Gráfico 

Na Coinext dispomos das avançadas ferramentas de análise técnica para os usuários através do TradingView. É possível utilizar estratégias de Bollinger, Médias Móveis, MACD, Estocástico, RSI, IFR, entre outros.

Acesse sua conta Coinext para acessar o gráfico completo do token SUSHI.

Que tal começar a investir agora?
Abra sua conta Coinext. É rápido e grátis!
Abrir minha conta
Você pode se interessar também...
Feedback